Buscar
  • Mateus Cosac

Morning Call - 30/08/2019

Alívio na guerra comercial, com indicação da China de que não retaliaria imediatamente contra o mais recente aumento de tarifas imposto pelos EUA, acabou prevalecendo ontem nos mercados. Ibovespa retomou os 100.000 pontos (+2,37% aos 100.524 pontos), juros futuros caíram e o dólar passou a maior parte da tarde em baixa, vindo a operar perto da estabilidade mais perto do final da sessão (R$ 4,1640). A manhã foi bem mais volátil, em parte pelo susto do pedido da Argentina de mais tempo para pagar sua dívida. O dólar chegou a superar R$ 4,17 na primeira parte dos negócios, mas o BC não tornou a fazer venda de spot desvinculada de swaps reversos. O mercado de ações foi o que teve o comportamento mais firme, com o Ibovespa em ascensão desde o começo do dia, com a trégua na guerra comercial e o PIB brasileiro acima do esperado. A maior alta do índice desde maio ajuda a reduzir a perda mensal que chegou a beirar os 5%, para pouco mais de 1%.


No exterior, as bolsas americanas subiram após a China indicar que não pretende retaliar imediatamente contra o mais recente aumento de tarifas dos EUA anunciado por Donald Trump na semana passada, enfatizando a necessidade de discutir maneiras de reverter escalada da guerra comercial entre os dois países. Mais cedo, Trump disse que EUA e China conversariam ainda hoje, embora não haja confirmação de que isso tenha ocorrido. O crescimento econômico dos EUA desacelerou no 2T mais do que o inicialmente relatado, com os gastos mais fortes dos consumidores compensados por leituras mais fracas em outras categorias, o que sugere que a ofensiva comercial do presidente Trump está pesando mais no ritmo de expansão. Ajustado à inflação, o PIB americano cresceu à taxa anualizada de 2%, comparada a 2,1% inicialmente informada.


Hoje o mercado externo mantém clima de alívio, que se manifesta sobretudo nas bolsas e minério de ferro, que reduzem as perdas de um mês marcado pela volatilidade. Yields das treasuries sobem com menor aversão ao risco, enquanto moedas pares do real têm leves ganhos. Furacão Dorian pode atingir Flórida nos próximos dias. EUA terão feriado na segunda. Negócios hoje ainda podem ser afetados por dados de renda e gastos pessoais, PMI Chicago e Sentimento de Michigan nos EUA. À noite, saem PMIs na China. No Brasil, sem leilão conjugado no encerramento do mês, agenda traz desemprego, com expectativa de que a taxa recue ligeiramente abaixo dos 12%, e resultado fiscal, que deve seguir apontando déficit tanto primário quanto nominal. Na política, enquanto Senado e Câmara tentam viabilizar aprovação da PEC paralela ainda este ano, governo já pensa em nova reforma trabalhista.


Bom dia.

Posts recentes

Ver tudo

Morning Call - 18/06/2021

Ontem: Os juros futuros curtos e médios dispararam e a curva perdeu a inclinação após o Copom adotar uma comunicação hawkish e deixar janela aberta para acelerar ritmo de alta da Selic, caso as expect

Morning Call - 17/06/2021

Ontem: A previsão de dirigentes do Fed de que os juros nos EUA podem ter dois aumentos até final de 2023 - um ritmo de aperto mais rápido do que o esperado - trouxe pressão aos ativos no exterior e no

Morning Call - 16/06/2021

Ontem: Os juros futuros curtos estenderam a alta, no aguardo de decisões do Fed e do Copom. O dólar virou para a queda no período da tarde, com fluxo vendedor e também na esteira da expectativa de alt