Buscar
  • Mateus Cosac

Morning Call - 30/01/2020

O receio com a disseminação do coronavírus pesou, mais uma vez ontem, no mercado de câmbio e na bolsa, enquanto os juros tiveram o foco voltado para o cenário interno e a expectativa de corte de juros na semana que vem, gerando queda nas taxas futuras. O dólar subiu acima de R$ 4,22, na esteira do movimento das moedas no exterior, onde a divisa americana se fortaleceu com as preocupações relacionadas ao vírus, citadas pelo presidente do Fed como “incertezas”, em meio a uma política “apropriada” para sustentar o crescimento dos EUA. “Estamos monitorando com muito cuidado a situação”, disse Powell. O Ibovespa caiu, com bancos e Vale entre os destaques de queda, depois de breve momento em que chegou a reduzir perdas com decisão e comunicado do Fed, que manteve juros inalterados. O temor com a situação do coronavírus na China também pressionou os frigoríficos. No EXTERIOR, as bolsas americanas subiram após decisão do Fed e em meio a balanços sólidos da Apple e General Electric, que conferiram um ambiente mais calmo ao mercado em detrimento às preocupações com os casos com o coronavírus. Os yields das treasuries de 10 anos recuaram para 1,58%. Segundo o comunicado do Fed após a decisão de manter os juros inalterados, o surto do coronavírus provavelmente atingirá a economia chinesa e poderá se espalhar ainda mais, mas ainda é muito cedo para avaliar o impacto que isso causaria aos EUA.


Hoje as bolsas globais caem com os investidores buscando proteção após a OMS convocar reunião para discutir possível emergência global diante do aumento das vítimas do coronavírus e dos sinais do seu impacto na economia da China. O dólar volta a testar os 7 yuanes e as commodities recuam. Por aqui o BC antecipou para fevereiro a rolagem de swaps que só vencem em abril após dólar superar R$ 4,22 com apostas em queda da Selic se somando à tensão externa. Agenda no exterior forte traz PIB dos EUA e decisão do BOE. No Brasil, IGP-M tem estimativa de desaceleração acentuada, após anúncio de alta de preços por JBS e BRF e decepção esta quarta com resultado do governo central.


Bom dia a todos.

Posts recentes

Ver tudo

Morning Call - 18/06/2021

Ontem: Os juros futuros curtos e médios dispararam e a curva perdeu a inclinação após o Copom adotar uma comunicação hawkish e deixar janela aberta para acelerar ritmo de alta da Selic, caso as expect

Morning Call - 17/06/2021

Ontem: A previsão de dirigentes do Fed de que os juros nos EUA podem ter dois aumentos até final de 2023 - um ritmo de aperto mais rápido do que o esperado - trouxe pressão aos ativos no exterior e no

Morning Call - 16/06/2021

Ontem: Os juros futuros curtos estenderam a alta, no aguardo de decisões do Fed e do Copom. O dólar virou para a queda no período da tarde, com fluxo vendedor e também na esteira da expectativa de alt