Buscar
  • Pedro Hernandez

Morning Call - 29/11/2021

Sexta: A nova cepa do coronavírus identificada na África do Sul espalhou a aversão ao risco nos mercados financeiros globais, num dia de baixa liquidez, espremido entre o feriado de Ações de Graças nos EUA e o fim de semana. As bolsas desabaram no mundo todo e o Ibovespa acompanha, em queda de mais de 3%. Os rendimentos dos títulos dos países despencaram, com redução das apostas de que os bancos centrais acelerariam a diminuição dos estímulos monetários e antecipariam alta de juros. Aqui também os juros futuros tombaram e as apostas de aceleração da alta da Selic foram reduzidas, com perda de força das chances de 2pp. O yield dos Treasuries de 10 anos mostrou a maior queda desde março de 2020, época do começo da pandemia. As commodities caíram, o petróleo desabou 13% e as moedas emergentes se desvalorizam, em sua maioria, mas o real perdeu menos que os pares.


Hoje: Bolsas, commodities e algumas moedas pares do real recuperam parte das fortes perdas de sexta-feira, causadas pela nova variante do coronavírus, a ômicron. Moderna sinaliza com uma vacina para a cepa no começo do próximo ano, mas a OMS recomenda cautela. Ômicron chega a novos países mesmo com restrições. No Brasil, passageiro vindo da África do Sul testa positivo para Covid. Notícias sobre a pandemia devem seguir decisivas para o mercado, que checa em falas de dirigentes de BCs se as ameaças da nova cepa reduzem as chances de alta maior dos juros, como o mercado apostou inicialmente. Powell tem hoje o 1º de três pronunciamentos na semana, que terminará com o payroll dos EUA. No Brasil, agenda destaca o IGP-M, com expectativa de desaceleração, Focus e resultado do governo central, que deve mostrar superávit elevado. Vale tem encontro com investidores. Na política, Doria vence prévia do PSDB e faz acenos a outros nomes da 3ª, incluindo Moro.


Bom dia e boa semana

Posts recentes

Ver tudo

Ontem: Em meio a uma sessão de volatilidade na véspera de decisão do Fed e com riscos geopolíticos relacionados à Ucrânia, os ativos brasileiros aproveitaram uma melhora de NY à tarde, movida por busc

Ontem: O cenário de aversão ao risco no exterior, com as tensões entre Rússia e Ucrânia, às vésperas de decisão do Fed sobre política monetária, contagiou os ativos domésticos. O Ibovespa perdeu em to

Sexta: O risco fiscal voltou a arranhar o humor para os ativos domésticos, após o presidente Jair Bolsonaro confirmar que o governo negocia com o Congresso uma PEC para “praticamente zerar” PIS/Cofins