Buscar
  • Mateus Cosac

Morning Call - 29/11/2019

A revisão dos dados da balança comercial de novembro afundou o dólar e os juros futuros a partir do meio da tarde de ontem, num movimento acentuado pela baixa liquidez por conta do feriado de Ação de Graças nos EUA. O anúncio feito pelo Ministério da Economia trouxe alívio após a preocupação criada pelos dados das contas externas do mês passado, divulgados no início da semana. O dólar operou em baixa durante praticamente todo o dia, com a venda de US$ 1 bi em reservas pelo Banco Central pela manhã, e teve a primeira queda em quatro dias, na casa de R$ 4,20. O Ibovespa subiu pela 2ª sessão seguida, mesmo com pressão negativa dos bancos após o BC impor limites ao juro do cheque especial. No EXTERIOR, com o feriado nos EUA, os bolsas europeias e futuros dos índices americanos caíram depois que o presidente Donald Trump assinou projeto de lei em apoio a manifestantes em Hong Kong, o que levanta preocupações sobre as perspectivas de acordo entre EUA e China.


Hoje o mercado aguarda dados de emprego e resultado fiscal de outubro após revisão para cima da balança comercial ajudar a derrubar o dólar ontem. As exportações foram revisadas em quase US$ 4 bi em novembro até dia 24. Para o desemprego, estimativa mediana é de leve baixa, de 11,8% para 11,6%, o que reforça um quadro de retomada gradual da economia. O dia traz algumas notícias que podem gerar preocupação. Jornais dizem que, após cheque especial, mudanças para setor financeiro podem envolver cartão de crédito. Câmbio tem vencimento da Ptax sem leilão pré-agendado de dólar à vista e BC anuncia conjugado para segunda. PEC paralela, por sua vez, é desfigurada por benesses a servidores, segundo o Estado. No exterior, BC chileno intervém após peso atingir novo recorde de baixa e S&P futuro recua no retorno do feriado americano. Black Friday ainda pode limitar liquidez e crise em Hong Kong segue gerando dúvidas sobre negociações EUA-China.


Bom dia e um excelente final de semana a todos.

Posts recentes

Ver tudo

Morning Call - 18/06/2021

Ontem: Os juros futuros curtos e médios dispararam e a curva perdeu a inclinação após o Copom adotar uma comunicação hawkish e deixar janela aberta para acelerar ritmo de alta da Selic, caso as expect

Morning Call - 17/06/2021

Ontem: A previsão de dirigentes do Fed de que os juros nos EUA podem ter dois aumentos até final de 2023 - um ritmo de aperto mais rápido do que o esperado - trouxe pressão aos ativos no exterior e no

Morning Call - 16/06/2021

Ontem: Os juros futuros curtos estenderam a alta, no aguardo de decisões do Fed e do Copom. O dólar virou para a queda no período da tarde, com fluxo vendedor e também na esteira da expectativa de alt