Buscar
  • Pedro Hernandez

Morning Call - 27/12/2018

Em ambiente externo bem melhor ontem, os ativos domésticos tiveram um dia de ajuste ao sell-off visto na véspera do Natal, quando aqui os mercados estavam fechados. Mas nada muito dramático. O dólar subiu, tendo desacelerado a alta (R$ 3,9280) após bater máxima de R$ 3,9403 perto do meio-dia. A bolsa, que chegou a cair mais de 2% no início da tarde, chegou ao final da sessão com queda de 0,65% aos 85.136 pontos. E os juros seguiram sem muita alteração, como têm se comportado nos últimos dias. O principal mote para a melhora externa ontem foi a declaração de um conselheiro econômico da Casa Branca de que Jerome Powell está firme no cargo, depois de notícia de que Trump teria discutido a demissão do chairman do Fed. Aqui, foi bem recebida a informação de que equipe econômica de Bolsonaro pretende usar boa parte da proposta de reforma da Previdência de Temer e economizar até R$ 1 tri em 10 anos.Lá fora, as bolsas americanas subiram forte ontem (5% S&P e Dow e 6% o Nasdaq), após chegarem à beira do bear market. Após críticas à política do Fed, Trump disse que as empresas americanas têm apresentado números recordes e são uma "tremenda oportunidade de compra". Alívio veio depois de forte queda na segunda-feira após a Bloomberg News noticiar que Trump havia discutido demitir o presidente Fed devido a alta de juros. Segundo o conselheiro econômico da Casa Branca Kevin Hassett, o presidente do Fed Jerome Powell está 100% seguro no cargo. O petróleo também subiu na esteira das bolsas americanas.Hoje, o mercado local deve reagir a forte alta das bolsas americanas de ontem. Os mercados no Brasil estavam fechados e não capturaram toda a alta dos índices americanos. Porém, o S&P futuro recua mais de -1% nesta manhã. Petróleo também devolve parte da disparada de ontem, enquanto índice dólar perde força. EUA divulgam dados de confiança do consumidor e seguro-desemprego, que costumam ter baixo impacto nos negócios. BC oferta US$ 1 bi em linha e inicia dia 2 a rolagem de swaps, sinalizando renovação integral, após dólar testar R$ 3,94 ontem.

Posts recentes

Ver tudo

Ontem: A fala de Bruno Serra vista como dovish (flexível) pelo mercado derrubou os juros futuros e ajudou a reduzir a precificação de alta da Selic para as próximas reuniões. O diretor de Política Mon

Sexta: Jerome Powell deu alívio aos mercados ao final de uma semana marcada por forte volatilidade. O presidente do Fed afastou um aperto de juros mais agressivo nas próximas reuniões, apesar de númer

Ontem: A volatilidade dominou a sessão desta quinta-feira. O dólar chega ao final da tarde com leves oscilações enquanto o índice da moeda no exterior subiu com a busca por ativos seguros. Os juros fu