Buscar
  • Pedro Hernandez

Morning Call - 27/11/2019

Depois de novo recorde intradiário, a R$ 4,2765, o dólar cedeu para nível ao redor de R$ 4,24 ontem, após o BC fazer uma segunda atuação de venda de moeda à vista no dia, sem a contrapartida do swap reverso. O mercado de câmbio reagia à declaração dada na véspera por Paulo Guedes, de que o nível do câmbio era bom e não o preocupava. A primeira atuação, ainda pela manhã, não foi suficiente para acalmar o mercado, levando à segunda a tarde. Os juros futuros subiram na esteira do dólar e, embora os participantes do mercado não acreditem que corte de 0,50 pp em dezembro já esteja comprometido, começam a falar em um BC mais cauteloso. O Ibovespa também foi afetado pela alta de dólar, que deu motivo à realização de lucros, num mercado já ressabiado pelos estudos para taxar dividendos. No exterior, as bolsas americanas renovaram recordes depois que o presidente Donald Trump disse que está conversando com o presidente chinês Xi Jinping e que eles continuam trabalhando em um acordo comercial. Trump disse ainda que as negociações para a primeira fase do acordo estão quase concluídas.


O mercado deve abrir hoje de olho no BC, principalmente o de câmbio. Campos Neto destaca reservas elevadas e promete mais intervenções se necessário. Após ministro Guedes causar polêmica ao mostrar despreocupação com dólar alto e fazer referência ao AI-5, presidente do BC explica atuação pela disfuncionalidade do câmbio. Sua ação contraria a ideia de que o BC permitiria a livre escalada do dólar, que já vinha levando o mercado de juros a reduzir marginalmente as apostas em novo corte de 0,50 pp da Selic. No exterior, bolsas operam de lado, com leve viés positivo, com expectativa de acordo comercial compensando dado fraco na China. Agenda forte nos EUA, com PIB, PCE, bens duráveis e Livro Bege, pode afetar negócios. No Brasil, IPC-Fipe acelera mais que previsto e sai dado de crédito. TRF-4, que condenou Lula em 2ª instância pelo triplex levando-o à cadeia, volta a julgar o ex-presidente, agora no caso do sítio, mas desta vez em meio a dúvidas se sentença será mantida.


Bom dia a todos.

Posts recentes

Ver tudo

Ontem: A fala de Bruno Serra vista como dovish (flexível) pelo mercado derrubou os juros futuros e ajudou a reduzir a precificação de alta da Selic para as próximas reuniões. O diretor de Política Mon

Sexta: Jerome Powell deu alívio aos mercados ao final de uma semana marcada por forte volatilidade. O presidente do Fed afastou um aperto de juros mais agressivo nas próximas reuniões, apesar de númer

Ontem: A volatilidade dominou a sessão desta quinta-feira. O dólar chega ao final da tarde com leves oscilações enquanto o índice da moeda no exterior subiu com a busca por ativos seguros. Os juros fu