Buscar
  • Pedro Hernandez

Morning Call - 25/11/2021

Ontem: Falas do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, vistas como dovish pelo mercado, derrubaram os juros futuros durante a tarde e reduziram a precificação de alta da Selic em dezembro para 187 pontos, ante 192 pontos na véspera. Analistas consideraram que Campos Neto não deu sinais de aceleração no ritmo de alta da Selic, nem muita ênfase à busca da meta de inflação em 2022, ainda que tenha reconhecido aumento na desancoragem das expectativas para o ano que vem. Já o dólar não mostrou efeito relevante, permanecendo de lado, um comportamento que prevaleceu no período da tarde. Ibovespa teve o segundo fechamento seguido em alta, com Vale na liderança, impulsionada pelo minério de ferro, e com Magazine Luiza e Banco Inter em alta, depois de duas quedas fortes. A ata do Fomc não chegou a alterar a dinâmica do mercado local. O documento enfatizou a necessidade de flexibilidade na redução das compras de ativos, em dia de sessão movimentada por bateria de dados econômicos nos EUA. Por aqui, a CCJ marcou votação da PEC dos Precatórios para 30 de novembro e o relator da MP que cria o Auxílio Brasil disse que pode retirar a indexação ao INPC, em troca de apoio à proposta.


Hoje: IPCA-15 de novembro deve mover a curva de juros após discurso visto como dovish de Campos Neto derrubar os DIs nesta quarta-feira. Estimativa para o dado é de leve desaceleração mensal e aceleração interanual. Juros futuros ainda podem reagir ao leilão de prefixados do Tesouro, que reduziu oferta de NTN-B esta semana. Agenda no Brasil também traz CMN e contas externas, além da divulgação do plano estratégico da Petrobras, que prevê investimentos de US$ 68 bi entre 2022 e 2026. No Congresso, após PEC dos precatórios ficar para a próxima semana, MP do Auxílio Brasil pode ser votada hoje sem a indexação, o que traz alívio sobre risco fiscal. Liquidez pode ser menor com feriado de Thanksgiving nos EUA. Bolsas e metais sustentam alta com perspectiva de maior crescimento nos EUA contrabalançando receios com o aumento da inflação, aperto do Fed e covid na Europa, enquanto índice dólar interrompe alta.


Bom dia

Posts recentes

Ver tudo

Ontem: O Banco Central reforçou mensagem da ata do Copom de que busca a convergência da inflação para ao “redor da meta” em 2023, com a Selic mais alta por período mais longo. Segundo o presidente Rob

Ontem: Dólar se firma em alta no fim da tarde e encerra o dia perto dos R$ 5,20, pressionado pelos ruídos fiscais com as propostas do governo para aliviar os preços dos combustíveis e o cenário extern

Ontem: Ata do Copom com tom mais duro que o esperado abriu espaço para aperto para além de agosto e fortaleceu o real ao favorecer o carry. Exterior positivo também contribuiu para a moeda ficar entre