Buscar
  • Pedro Hernandez

Morning Call - 25/10/2019

A perda de força de moedas emergentes, somada a um movimento de realização de lucros quando o dólar chegou a cair abaixo de R$ 4,00, levou a moeda americana a apagar a queda vista na maior parte do dia de ontem. Na bolsa, os investidores também decidiram assegurar os ganhos depois de três altas seguidas, quando o Ibovespa bateu recorde atrás de recorde. Assim, o Ibov fechou em queda, abaixo dos 107.000 pontos. Os juros futuros, que também tinham mostrado quedas mais fortes pela manhã, atenuaram a baixa junto com o câmbio. O julgamento no STF sobre a questão da prisão após condenação em 2ª instância continuou no radar, mas sem reflexos nos preços. No exterior, as ações de tecnologia lideraram a alta nos índices americanos enquanto investidores avaliavam os balanços. O S&P se aproximou da máxima histórica, fechando acima dos 3000 pontos.


Hoje o Ibovespa deve reagir positivamente ao balanço de Petrobras, que superou as estimativas com recorde de produção, enquanto Vale e Ambev frustraram as expectativas. No exterior, bolsas operam de lado, com sentimento positivo recente ofuscado por balanços fracos da Amazon e AB InBev. Índice dólar interrompe alta verificada ontem. Mercado segue na expectativa com leilão da cessão onerosa e reformas pós-Previdência para consolidar otimismo. STF suspende julgamento com tendência pró-mudança da prisão após 2ª instância, mas posição intermediária de Toffoli poderá evitar libertação de Lula, segundo o Valor.


Bom dia e um excelente final de semana a todos.

Posts recentes

Ver tudo

Ontem: O Banco Central reforçou mensagem da ata do Copom de que busca a convergência da inflação para ao “redor da meta” em 2023, com a Selic mais alta por período mais longo. Segundo o presidente Rob

Ontem: Dólar se firma em alta no fim da tarde e encerra o dia perto dos R$ 5,20, pressionado pelos ruídos fiscais com as propostas do governo para aliviar os preços dos combustíveis e o cenário extern

Ontem: Ata do Copom com tom mais duro que o esperado abriu espaço para aperto para além de agosto e fortaleceu o real ao favorecer o carry. Exterior positivo também contribuiu para a moeda ficar entre