Buscar
  • Pedro Hernandez

Morning Call - 24/04/2020

Ontem: A percepção de crise política escalou durante a tarde com a notícia sobre eventual demissão do ministro Sergio Moro, levantada pela Folha, e somou-se aos receios do mercado sobre as divergências na área fiscal já expostas entre a Casa Civil e o Ministério da Economia para a saída da crise do coronavírus. O dólar, que já subia antes, a despeito de dois leilões extras de swap cambial realizados pelo BC, renovou recorde, chegando a nível acima de R$ 5,55, antes de a autoridade intervir com um terceiro leilão ao final da tarde. Os juros futuros, que também já avançavam mais cedo, interrompendo a sequência de quedas vistas desde que o mercado entendeu como dovish declarações recentes das autoridades do BC, dispararam. E o Ibovespa foi às mínimas do dia, encerrando em queda de mais 1%, bem mais forte que as bolsas americanas, que fecharam próximas à estabilidade. Depois de encerrados os negócios, o BC anunciou leilão de linha de até US$ 3 bi, a ser realizado amanhã, para rolagem do vencimento de 5 de maio. No EXTERIOR, as bolsas americanas apagaram a alta depois que o remédio antiviral da Gilead Sciences, o Remdesivir, fracassou em seu primeiro ensaio clínico, segundo o Financial Times. Mais de 4 milhões de pessoas entraram com pedidos de seguro-desemprego na semana passada, elevando o total de cinco semanas para 26,5 milhões de pedidos. Hoje: Tensão que ensaiava diminuir na noite de ontem com notícias sobre militares tentando apaziguar Sérgio Moro deve ser retomada nesta manhã após Bolsonaro demitir o diretor-geral da PF, Maurício Valeixo. Percepção de instabilidade política é reforçada por desgaste entre Bolsonaro e Guedes após plano pós-crise comandado pela Casa Civil, que nega quebra do teto de gastos. Mercados globais têm desempenho misto, com bolsas europeias em queda e S&P futuro em leve alta, enquanto investidores avaliam planos de estímulo na Europa e EUA. Agenda destaca contas externas no Brasil e dado de bens duráveis americano. Empresas como Renner e Iguatemi programam retomada de atividades, mas casos da Covid-19 têm novo salto e se aproximam de 50.000. Bom dia e bom final de semana a todos.

Posts recentes

Ver tudo

Sexta: Apetite ao risco no exterior, enquanto operadores ponderaram chance de Fed desacelerar ritmo do aperto em setembro, e relatos de fluxo doméstico sustentaram a dinâmica positiva dos ativos locai

Ontem: Avanço dos yields e realização de lucros pressionam dólar, que fechou em alta superior a 1%. Moeda renovou a máxima perto de R$ 5,17 e real anotou o pior desempenho entre emergentes. Rendimento

Ontem: Reversão da queda dos yields americanos freou o ímpeto de queda do DI, que chegou a mergulhar pela manhã com o CPI abaixo do esperado nos EUA. Inflação americana aumentou chance de 0,50pp pelo