Buscar
  • Mateus Cosac

Morning Call - 24/03/2021

Ontem: Ativos brasileiros entraram numa espiral negativa ao final da tarde, com piora dos mercados no exterior e preocupações com os desdobramentos da pandemia por aqui. Informação sobre pronunciamento de Bolsonaro à noite, na véspera da reunião com os presidentes do Senado, da Câmara, do STF, o Procurador-Geral da República e governadores para discutir sobre a pandemia, deixou o mercado mais cauteloso. Nos juros futuros, continuou a adição de prêmios de riscos e as taxas longas subiram com força, mais uma vez, ignorando o tom hawkish da ata do Copom, que reforçou a narrativa do comunicado do dia 17. BC citou que as pressões inflacionárias podem contaminar as expectativas para o próximo ano, com risco de uma desancoragem, além de retomada robusta da atividade no segundo semestre --vista com reservas por alguns analistas. Mercado trabalha com a ideia de a autoridade ser forçada a elevar a Selic além do que já sinalizou e curva precifica inteiramente alta de 1pp na reunião de maio, com apostas marginais de elevação acima disso. O dólar oscilou entre baixa e alta ao final da tarde e o Ibovespa caiu 1,5%, com preocupações sobre a pandemia e também sob influência da queda das bolsas em NY, com temor de que o aumento de infecções e novas restrições na Alemanha sinalizem um atraso na reabertura global.


Hoje: Após mortes pela Covid renovarem recorde com mais de 3.000 ao dia, Bolsonaro busca mostrar iniciativa ao discutir ação contra a pandemia hoje com presidentes do Congresso e STF. Presidente fez uma 1ª tentativa de mudar o tom no pronunciamento da última noite, afirmando que este será o “o ano da vacinação". Fala foi recebida com panelaços, evidenciando a desaprovação da forma como o governo conduziu a crise até aqui. Campos Neto diz que já há luz no fim do túnel com vacinação, mas imunização tem revés com notícia sobre Fiocruz reduzindo previsão de doses. Nesta manhã, futuros em NY e algumas moedas pares do real sobem, mas casos de coronavírus e bloqueios ainda pesam nas bolsas europeias. Powell, que ontem minimizou riscos de inflação, fala no Senado, e EUA divulgam bens duráveis e PMIs. Agenda fraca no Brasil tem dado da dívida e rolagem de LTN. No corporativo, Vale diz que produção de minério não foi afetada por Covid, Petrobras pode vender refinaria ao Mubadala e Carrefour acerta compra do Big. Na política, Lula tem vitória após STF aprovar a suspeição de Moro.


Bom dia a todos.

Posts recentes

Ver tudo

Morning Call - 18/06/2021

Ontem: Os juros futuros curtos e médios dispararam e a curva perdeu a inclinação após o Copom adotar uma comunicação hawkish e deixar janela aberta para acelerar ritmo de alta da Selic, caso as expect

Morning Call - 17/06/2021

Ontem: A previsão de dirigentes do Fed de que os juros nos EUA podem ter dois aumentos até final de 2023 - um ritmo de aperto mais rápido do que o esperado - trouxe pressão aos ativos no exterior e no

Morning Call - 16/06/2021

Ontem: Os juros futuros curtos estenderam a alta, no aguardo de decisões do Fed e do Copom. O dólar virou para a queda no período da tarde, com fluxo vendedor e também na esteira da expectativa de alt