Buscar
  • Pedro Hernandez

Morning Call - 23/10/2020

Ontem: O Ibovespa avançou mais de 1% e encostou nos 102.000 pontos, em movimento impulsionado por bancos após quedas recentes, enquanto bolsas em NY subiram mais modestamente à espera das negociações para pacote de estímulo nos EUA. Dólar caiu, mas reduziu a queda ao final da tarde diante da alta da moeda americana. Os juros futuros longos seguiram pressionados após o leilão de títulos públicos, embora este tenha sido considerado bem-sucedido por analistas, dentro da atual estratégia do Tesouro e BC. Questões técnicas, alta forte dos rendimentos dos Treasuries e expectativa por um IPCA-15 em aceleração, hoje, contribuíram para o movimento.


Hoje: IPCA-15 deve mostrar inflação mais acelerada até a metade de outubro e deve influenciar os juros futuros. Após leilão com mais título longo elogiado por analistas na quinta-feira, Tesouro diz que vê cenário mais favorável para rolagem da dívida nos próximos meses com compromisso fiscal do governo. Câmbio vive momento raro de relativa estabilidade, com lira superando real como moeda mais volátil em uma semana, CDS brasileiro se aproxima dos 210 pontos após quatro baixas seguidas e a bolsa sustenta os 100.000 pontos pela 3ª sessão. Enquanto reformas macro seguem paradas no Congresso, BC aprova nova instituição de pagamento para expandir open banking e Guedes tenta avançar na simplificação trabalhista. Agenda ainda traz contas externas, IPC-S, confiança do consumidor e leilão da Sanesul no Brasil, além de PMI nos EUA. No mercado externo, bolsas e moedas emergentes têm ganhos moderados com balanços e dados fortes na Europa compensando falta de progresso nos estímulos americanos.


Bom dia e bom final de semana a todos.