Buscar
  • Pedro Hernandez

Morning Call - 22/08/2019

A primeira atuação do BC com leilão de dólar à vista conjugado com swap reverso trouxe ontem ao mercado discussões sobre até onde a autoridade monetária iria em termos de preço e também sobre o tamanho da demanda por dólar spot. O BC colocou menos da metade da oferta de US$ 550 milhões, o que boa parte dos analistas viu como uma questão de precificação. Ou seja, o BC não estaria disposto a fazer a operação a qualquer preço e cortou as propostas onde achou adequado. Também se falou que o resultado do leilão mostrou que a demanda por dólar à vista não é excessiva. Isso deverá ser acompanhado melhor pelos resultados dos próximos leilões. O dólar caiu pela segunda sessão seguida, em dia favorável a moedas emergentes, mas desacelerou a queda junto com a alta do Índice Dólar, após a divulgação da ata do Fed, que reiterou que o corte de juros em julho foi ajuste de meio de ciclo. O Ibovespa subiu 2% e voltou ao patamar dos 101.000 pontos com notícias de privatização envolvendo Petrobras, Eletrobrás e outras estatais.


Lá fora, as bolsas americanas reduziram a alta após a ata do Fed sinalizar, menos do que o esperado, que o BC americano estaria pronto para cortar juros bruscamente. A maioria dos membros do Fed viu o corte de juros em julho como ajuste de meio de ciclo. A redução foi considerada um seguro contra a inflação muito baixa e o risco de uma queda mais acentuada no investimento empresarial decorrente da incerteza sobre a guerra comercial EUA/China.


Hoje as bolsas europeias e as moedas emergentes recuam enquanto investidores aguardam PMI nos EUA, ata do BCE e fala de Powell em Jackson Hole amanhã, após ata do Fed inconclusiva. Metais recuam com desvalorização da moeda chinesa. No Brasil, mercado de juros responde ao IPCA-15, que pode ter ligeira aceleração em agosto, e ao leilão do Tesouro. Leilão conjugado do BC no câmbio passa por 2º teste, após venda parcial na primeira oferta de dólar à vista. Após estatais dispararem na bolsa ontem com perspectiva de privatização, governo anuncia lista com nove empresas, não as 17 antecipadas por Guedes. Eletrobrás depende do Congresso, que pode ter projeto encaminhado nos próximos dias. Temos muito a fazer antes de desestatizar Petrobras, disse Onyx, sem confirmar, nem negar, notícia do Valor de que a estatal pode ser vendida até 2022. Senado conclui aprovação da MP da liberdade econômica.


Bom dia a todos.

Posts recentes

Ver tudo

Ontem: A fala de Bruno Serra vista como dovish (flexível) pelo mercado derrubou os juros futuros e ajudou a reduzir a precificação de alta da Selic para as próximas reuniões. O diretor de Política Mon

Sexta: Jerome Powell deu alívio aos mercados ao final de uma semana marcada por forte volatilidade. O presidente do Fed afastou um aperto de juros mais agressivo nas próximas reuniões, apesar de númer

Ontem: A volatilidade dominou a sessão desta quinta-feira. O dólar chega ao final da tarde com leves oscilações enquanto o índice da moeda no exterior subiu com a busca por ativos seguros. Os juros fu