Buscar
  • Pedro Hernandez

Morning Call - 22/07/2020

Ontem: Os juros futuros subiram, na sessão regular, com a leitura de que uma possível reoneração da cesta básica na reforma tributária traria impacto inflacionário, podendo até mesmo ter peso na próxima decisão do Copom e na antecipação da normalização da política monetária. Mas a proposta do governo para a reforma manteve a desoneração da cesta e uma correção das taxas foi vista no after market, o que provavelmente prosseguirá hoje. O dólar caiu quase 3%, na esteira da baixa no exterior e também com o sentimento positivo de que a reforma tributária está andando. O Ibovespa terminou a sessão praticamente de lado. Vale liderou a baixa e Petrobras, a alta. LÁ FORA, o S&P 500 subiu pela terceira sessão seguida, porém reduziu a alta ao final do dia após o líder da maioria no Senado americano dizer que não espera que o pacote de alívio seja aprovado dentro de duas semanas como esperado pela Casa Branca. Na Europa, líderes acertarem pacote de ajuda para a região de 750 bilhões de euros.


Hoje: Bolsas globais recuam depois que a China disse que os EUA ordenaram o fechamento do consulado do país asiático em Houston, o que puxa uma correção após o S&P futuro fechar ontem no maior nível em cinco meses. Tensão entre as superpotências enfraquece as moedas emergentes e deve ser um teste para o dólar, que despencou 3% ontem. China promete retaliação, mas por ora mercados mantêm sangue-frio e perdas dos ativos são modestas. Agenda segue esvaziada de indicadores e traz Campos Neto em live às 11:00. A duas semanas do Copom, avanço da reforma tributária ajudou a derrubar o dólar, mas agitou os juros ontem. Taxas subiram e apostas em corte da Selic encolheram com a expectativa de reoneração da cesta básica. No after market, a pressão arrefeceu após essa ideia ficar fora da 1º fase do projeto. No entanto, assessora de Guedes disse que o debate voltará dentro do programa social em estudo no governo. No Congresso, parlamentares defendem uma reforma mais ampla, enquanto a Câmara aprova aumento de verbas do Fundeb. Na bolsa, ações da Petrobras reagem ao anúncio de aumento de 6,4% na produção em termos anuais. Covid retoma números altos e Bolsonaro espera resultado de novo teste. No exterior, agenda traz fala de Lagarde, do BCE, dado de moradias nos EUA e balanço da Microsoft.


Bom dia a todos.

Posts recentes

Ver tudo

Ontem: O Banco Central reforçou mensagem da ata do Copom de que busca a convergência da inflação para ao “redor da meta” em 2023, com a Selic mais alta por período mais longo. Segundo o presidente Rob

Ontem: Dólar se firma em alta no fim da tarde e encerra o dia perto dos R$ 5,20, pressionado pelos ruídos fiscais com as propostas do governo para aliviar os preços dos combustíveis e o cenário extern

Ontem: Ata do Copom com tom mais duro que o esperado abriu espaço para aperto para além de agosto e fortaleceu o real ao favorecer o carry. Exterior positivo também contribuiu para a moeda ficar entre