Buscar
  • Vinicius Verdu

Morning Call - 22/06/2022

Ontem: Ata do Copom com tom mais duro que o esperado abriu espaço para aperto para além de agosto e fortaleceu o real ao favorecer o carry. Exterior positivo também contribuiu para a moeda ficar entre melhores do dia, em dinâmica benigna para divisas ligadas a commodities. BC afirmou na ata que a Selic tem de ficar alta por mais tempo para a inflação convergir de 4% para ao redor da meta em 2023. Goldman Sachs já admite elevação de juros em setembro e JPMorgan elevou estimativa de taxa no fim do próximo ano. Juros futuros fecharam de lado e mercado manteve precificação de 40 pontos para agosto e cerca de 20 em setembro. Tesouro vendeu parte de uma das maiores ofertas de NTN-B do ano. Ibovespa não conseguiu segurar os 100.000 pontos, pressionado por bancos e Petrobras. Na mira do governo, ações da estatal recuaram e impediram que o índice acompanhasse a recuperação das bolsas em NY pós-feriado. Governo confirmou hoje requerimento para criação da CPI contra os dirigentes da estatal e, segundo os jornais, prepara MP para mudar a Lei das Estatais. Ministro Adolfo Sachsida negou interferência nos preços, mas reconheceu a possibilidade de taxar lucros e exportações e disse gostar da ideia de usar dividendos para um fundo de estabilização.


Hoje: Presidente do Fed, Jerome Powell, fala no Senado americano no momento em que crescem as preocupações com uma recessão nos EUA provocada pelo aumento de juros para combater a inflação. O temor de desaceleração econômica volta a abalar os mercados nesta quarta-feira, com queda de mais de 5% do petróleo e futuros dos índices em NY em baixa com as bolsas europeias. Roberto Campos Neto tem reunião fechada com o FMI nesta manhã e participa de evento no Rio de Janeiro à noite. Em meio às discussões para conter o preço dos combustíveis e evitar mudança na lei das estatais, o governo estuda auxílio para caminhoneiros e ampliação do vale gás, em conjunto de medidas que ficariam fora do teto de gastos.


Bom dia

Posts recentes

Ver tudo

Sexta: Apetite ao risco no exterior, enquanto operadores ponderaram chance de Fed desacelerar ritmo do aperto em setembro, e relatos de fluxo doméstico sustentaram a dinâmica positiva dos ativos locai

Ontem: Avanço dos yields e realização de lucros pressionam dólar, que fechou em alta superior a 1%. Moeda renovou a máxima perto de R$ 5,17 e real anotou o pior desempenho entre emergentes. Rendimento

Ontem: Reversão da queda dos yields americanos freou o ímpeto de queda do DI, que chegou a mergulhar pela manhã com o CPI abaixo do esperado nos EUA. Inflação americana aumentou chance de 0,50pp pelo