Buscar
  • Pedro Hernandez

Morning Call - 21/11/2019

Ontem, enquanto o mercado brasileiro esteve fechado por conta do feriado em São Paulo, o S&P fechou em queda de 0,06% e o índice dólar em alta de 0,15%.


Hoje, as bolsas e as commodities têm baixa moderada no exterior, após o Congresso americano aprovar lei que dá apoio aos manifestantes de Hong Kong. Lei deve ser assinada por Trump, mas seu efeito tem contraponto em fala de negociador chinês sobre otimismo cauteloso com acordo comercial, o que ajuda o dólar a ter leve baixa contra pares emergentes. O S&P futuro anulou a baixa com o convite da China para negociador norte-americano. No Brasil, BC retoma leilões conjugados no câmbio e Bolsonaro diz que gostaria de um dólar abaixo de R$ 4,00. Antes do feriado, fala de Campos Neto, sugerindo uso da política monetária caso o câmbio afete inflação, reduziu apostas em cortes da Selic em 2020 e ajudou a segurar a moeda americana. Sinais de retomada da economia também inibem apostas em ciclo estendido de alívio. Agenda hoje traz o Caged, que pode mostrar aumento do emprego formal. Os EUA divulgam novos pedidos seguro-desemprego, índice antecedente e vendas de casas já existentes de out.


Bom dia a todos.

Posts recentes

Ver tudo

Ontem: O Banco Central reforçou mensagem da ata do Copom de que busca a convergência da inflação para ao “redor da meta” em 2023, com a Selic mais alta por período mais longo. Segundo o presidente Rob

Ontem: Dólar se firma em alta no fim da tarde e encerra o dia perto dos R$ 5,20, pressionado pelos ruídos fiscais com as propostas do governo para aliviar os preços dos combustíveis e o cenário extern

Ontem: Ata do Copom com tom mais duro que o esperado abriu espaço para aperto para além de agosto e fortaleceu o real ao favorecer o carry. Exterior positivo também contribuiu para a moeda ficar entre