Buscar
  • Mateus Cosac

Morning Call - 21/05/2019

A percepção de um Congresso mais atuante em prol da reforma da Previdência, ao tomar em suas mãos as rédeas do processo, ainda que o governo falhe na articulação política, levou o Ibovespa a subir 2,17% ontem, na contramão externa. Também os juros futuros reagiram bem diante de tal expectativa, com devolução de prêmio de risco, especialmente nos vértices médios e longos. Apenas o real foi mais resiliente à melhora, apesar de ter pelo menos saído do último lugar do ranking, posição que ocupou nos últimos 3 pregões em sequência. O relator da reforma na Comissão Especial, Samuel Moreira, disse que trabalha com base na PEC do governo e que o termo "substitutivo” é absolutamente técnico, ao mesmo tempo em que reforçou o objetivo de economia de R$ 1 trilhão. O ministro Paulo Guedes disse estar confiante e otimista com o trabalho do relator e do Congresso. Declarações de Jair Bolsonaro vistas como apaziguadoras das tensões com o Congresso chegaram a influenciar na queda momentânea do dólar à tarde, pelo menos até o presidente voltar a dizer que a classe política é o grande problema. Bolsonaro disse que, se o Congresso tiver uma proposta melhor do que a do governo para a reforma, deve levá-la à votação.

Lá fora, as bolsas americanas recuaram com as medidas da Casa Branca contra a gigante de telecomunicações chinesa Huawei, que pesaram sobre as ações de tecnologia e alimentaram o nervosismo com a guerra comercial. O índice dólar caiu e os yields das treasuries subiram. Fabricantes de chips como Intel, Qualcomm, Xilinx e Broadcom anunciaram a seus empregados que deixarão de fornecer produtos para a Huawei até que novas informações surjam, segundo pessoas familiarizadas com o tema. O petróleo reverteu a queda que chegou a apresentar no meio da tarde, já que sinais de cortes na produção dos principais produtores de petróleo ofuscaram a mais recente provocação do presidente Donald Trump no impasse comercial com a China.

Hoje ativos externos têm desempenho misto, com bolsas em leve alta e moedas emergentes pressionadas. EUA trazem alívio pontual com licença temporária para consumidores de produtos da Huawei. Em dia de agenda fraca aqui e no exterior, BC faz leilões de linha. Os líderes no Congresso e membros do governo tentam manter tom mais construtivo sobre a Previdência, que já animou o mercado brasileiro ontem. Líder do PSL prevê votação da PEC na comissão em até 20 dias. Manifestação a favor de Bolsonaro prevista para o próximo domingo, porém, segue gerando polêmica. Nesta terça, presidente reúne conselho de governo, com participação de Guedes e Campos Neto.



Posts recentes

Ver tudo

Morning Call - 18/06/2021

Ontem: Os juros futuros curtos e médios dispararam e a curva perdeu a inclinação após o Copom adotar uma comunicação hawkish e deixar janela aberta para acelerar ritmo de alta da Selic, caso as expect

Morning Call - 17/06/2021

Ontem: A previsão de dirigentes do Fed de que os juros nos EUA podem ter dois aumentos até final de 2023 - um ritmo de aperto mais rápido do que o esperado - trouxe pressão aos ativos no exterior e no

Morning Call - 16/06/2021

Ontem: Os juros futuros curtos estenderam a alta, no aguardo de decisões do Fed e do Copom. O dólar virou para a queda no período da tarde, com fluxo vendedor e também na esteira da expectativa de alt