Buscar
  • Pedro Hernandez

Morning Call - 20/10/2020

Ontem: Dólar e juros futuros caíram, enquanto Ibovespa subiu, a despeito de queda das bolsas em NY, com ativos domésticos favorecidos por declarações de auroridades brasileiras de apoio à austeridade fiscal desde a noite de sexta-feira e renovadas ontem. Paulo Guedes afirmou que o Brasil vai continuar fazendo reformas até o fim e que Bolsonaro está do lado do Ministério da Economia, enquanto Roberto Campos Neto ressaltou a necessidade de o país voltar para a disciplina fiscal. Presidente da Câmara, Rodrigo Maia, disse ser contra a prorrogação do decreto de calamidade e que é preciso encontrar uma solução dentro do teto de gastos. Ibovespa perdeu fôlego ao final da tarde, mas ainda conseguiu fechar no terreno positivo, na faixa dos 98.000 pontos. Bolsas americanas não sustentaram o avanço visto pela manhã, diante da falta de acordo para pacote fiscal de apoio à economia.


Hoje: Futuro do S&P sobe com esperança de acordo sobre estímulos após um porta-voz de Nancy Pelosi dizer que as diferenças estão diminuindo nas negociações, que têm prazo final nesta terça-feira. Ela e o secretário Steven Mnuchin voltam a conversar hoje, após dúvidas sobre chances de o Congresso aprovar o plano antes das eleições derrubarem as bolsas globais na tarde desta segunda. Produção da Vale vem acima das estimativas, o que pode ser golpe para preço do minério, e mercado espera relatório da Petrobras após fechamento. CSN pede registro de IPO da sua unidade de mineração e Grupo Big Brasil também entra com pedido de oferta inicial. Com noticiário político fraco, Brasil assina acordo sobre regras comerciais com EUA. Agenda limitada traz segunda prévia do IGP-M, que deve seguir elevada, e leilão de NTN-B.


Bom dia a todos.

Posts recentes

Ver tudo

Ontem: O Banco Central reforçou mensagem da ata do Copom de que busca a convergência da inflação para ao “redor da meta” em 2023, com a Selic mais alta por período mais longo. Segundo o presidente Rob

Ontem: Dólar se firma em alta no fim da tarde e encerra o dia perto dos R$ 5,20, pressionado pelos ruídos fiscais com as propostas do governo para aliviar os preços dos combustíveis e o cenário extern

Ontem: Ata do Copom com tom mais duro que o esperado abriu espaço para aperto para além de agosto e fortaleceu o real ao favorecer o carry. Exterior positivo também contribuiu para a moeda ficar entre