Buscar
  • Mateus Cosac

Morning Call - 20/05/2019

Os ativos domésticos pioraram ainda mais na sexta feira, com o dólar Index no nível mais alto do ano e bolsas americanas sem conseguirem sustentar uma recuperação, enquanto o mercado doméstico segue com uma percepção de ambiente político deteriorado, economia fraca e riscos de atraso e desidratação da reforma da Previdência. O dólar chegou à máxima de R$ 4,1117 e depois disso encerrou o dia aos R$ 4,0991. Os juros futuros subiram, com vários contratos com altas de mais de 10 pontos. O Ibovespa, que chegou a avançar mais de 1% durante a sessão, caiu junto com as bolsas americanas no período da tarde, e acabou por fechar estável (-0,04% aos 89.992 pontos). Visões mais otimistas sobre a reforma da Previdência, por parte de Eurasia e BofA, não conseguiram reverter o mau humor. Enquanto a guerra comercial EUA X China só piorou, a despeito de iniciativas de Trump de melhorar relações com outros países e equilibrar o jogo, aqui cresce o desalento. Ibovespa caiu 4,5% na semana, a terceira seguida de perdas, e o dólar vai para sexta alta semanal.

Lá fora, as bolsas americanas caíram com os receios provocados pela guerra comercial. O presidente dos EUA, Donald Trump, disse que o país irá retirar as tarifas de aço e alumínio no Canadá e no México, aumentando os esforços para incentivar os legisladores a ratificar seu novo acordo comercial na América do Norte. Ainda assim, os desdobramentos da guerra comercial não estão claros, pela retórica mais dura da China.

A semana começa com desafios importantes para o governo, ao mesmo tempo em que a guerra comercial mantém o quadro incerto globalmente. Equipe econômica tenta se acertar com o Congresso para avançar com a reforma da Previdência mesmo em meio à turbulência política. Governo, porém, precisa ainda lidar com as pressões do centrão e correr contra o tempo para não deixar MPs expirarem. Manifestação a favor de Bolsonaro prevista para próximo domingo também gera incerteza. No exterior, bolsas caem após restrições de Trump à Huawei derrubarem ações do setor de tecnologia. Moedas têm desempenho mais positivo, mas com destaques proporcionados por notícias tópicas, embora em países importantes. Rúpia da Índia sobe com pesquisa favorável a Modi em eleição no país, enquanto dólar australiano se fortalece com vitória de premiê conservador. Agenda traz encontro de Guedes com Bolsonaro, IGP-M e vencimento de opções na B3.



Posts recentes

Ver tudo

Morning Call - 18/06/2021

Ontem: Os juros futuros curtos e médios dispararam e a curva perdeu a inclinação após o Copom adotar uma comunicação hawkish e deixar janela aberta para acelerar ritmo de alta da Selic, caso as expect

Morning Call - 17/06/2021

Ontem: A previsão de dirigentes do Fed de que os juros nos EUA podem ter dois aumentos até final de 2023 - um ritmo de aperto mais rápido do que o esperado - trouxe pressão aos ativos no exterior e no

Morning Call - 16/06/2021

Ontem: Os juros futuros curtos estenderam a alta, no aguardo de decisões do Fed e do Copom. O dólar virou para a queda no período da tarde, com fluxo vendedor e também na esteira da expectativa de alt