Buscar
  • Pedro Hernandez

Morning Call - 18/06/2020

Ontem: A expectativa de um corte de 0,75 pp na Selic influenciou no comportamento dos ativos, mantendo os juros futuros em queda, a bolsa em valorização e o dólar oscilando entre altas e baixas modestas à tarde, já que a maior dúvida era referente aos sinais que o Copom daria sobre os próximos passos da política monetária. Ainda que na reunião de maio o BC tenha sinalizado que este poderia ser um último corte no ciclo, a deflação e a atividade sem tração, agravados pela pandemia, levaram muitos analistas a acreditarem que a porta para novas reduções de juros não seria totalmente fechada, enquanto na contrapartida estão os riscos fiscais mais elevados. LÁ FORA, o S&P 500 e o Dow Jones caíram, com investidores mais cautelosos diante do aumento de infecções em Pequim e nos EUA, mas isso não intimidou o Ibovespa, que subiu mais de 2%. Na politica, o STF já tinha maioria de votos para manter inquérito sobre fake news.


Hoje: Copom reduz a Selic para 2,25% para defender a economia do impacto da pandemia, que pode se refletir no IBC-Br, que sai esta manhã e deve mostrar queda recorde de 15,3% a/a. BC deixa porta aberta a um novo corte menor, mas traz alertas sobre risco fiscal e assimetria com estímulos. Investidores esperam que precificação do próximo Copom caminhe para 0,25 pp. Curva de juros e dólar devem reagir à mensagem do comunicado com possibilidade ainda de alívio, mas com condições, e outros pontos do noticiário. Juro em novo recorde de baixa pode adicionar entusiasmo à bolsa. Exterior tem viés positivo com alta das commodities e de moedas emergentes, embora os ganhos não sejam uniformes, com o otimismo limitado pela reincidência do coronavírus. Agenda ainda traz decisão do BoE, dados de seguro-desemprego e antecedentes nos EUA e IGP-M no Brasil, além do leilão do Tesouro. Política pode ganhar tensão com prisão de Queiroz, segundo Globo. Câmara aprova alteração de regras trabalhistas e Weintraub pode trocar Educação por posto no Banco Mundial, dizem jornais.


Bom dia a todos.

Posts recentes

Ver tudo

Ontem: A fala de Bruno Serra vista como dovish (flexível) pelo mercado derrubou os juros futuros e ajudou a reduzir a precificação de alta da Selic para as próximas reuniões. O diretor de Política Mon

Sexta: Jerome Powell deu alívio aos mercados ao final de uma semana marcada por forte volatilidade. O presidente do Fed afastou um aperto de juros mais agressivo nas próximas reuniões, apesar de númer

Ontem: A volatilidade dominou a sessão desta quinta-feira. O dólar chega ao final da tarde com leves oscilações enquanto o índice da moeda no exterior subiu com a busca por ativos seguros. Os juros fu