Buscar
  • Pedro Hernandez

Morning Call - 17/03/2022

Ontem: Ativos tiveram um dia agitado pela decisão do Federal Reserve, que elevou as taxas de juros em 0,25pp, em linha com o esperado, e sinalizou aumentos nas seis reuniões restantes deste ano para combater inflação. A reação levemente negativa inicial encontrou alívio na fala do presidente do BC dos EUA, Jerome Powell, que disse que a economia é forte o suficiente para suportar taxas mais altas. Dólar caiu mais de 1%, abaixo de R$ 5,10, em linha com comportamento do índice da moeda americana no exterior. Juros futuros acompanharam o movimento do câmbio e a maioria dos contratos passaram a operar entre estabilidade e queda enquanto aguardam a decisão do Copom após o fechamento. Curva manteve precificação de alta de 1pp da Selic e foco recaia sobre o comunicado do BC. O Ibovespa fechou em alta e seguiu a melhora das bolsas de NY, onde o S&P 500 reverteu ligeira baixa e encerrou com ganho de 2,2%, registrando o maior avanço em dois dias desde abril de 2020. Aqui, Petrobras caiu com petróleo e após Jair Bolsonaro afirmar que existe a possibilidade de trocar o presidente da estatal, Joaquim Silva e Luna, “se não estiver trabalhando a contendo”. Segundo presidente, ele não disse que irá demitir o CEO da companhia, mas que pode.


Hoje: Copom misturou notas hawkish e dovish no comunicado da decisão de elevar o juro para 11,75%. O BC sinalizou outra alta de 1pp em maio e admitiu que ciclo pode ir além se choque externo persistir. Por outro lado, indicou “serenidade” no enfrentamento da crise e previu inflação na meta em 2023 com petróleo a US$ 100. Exterior tem manhã negativa para as bolsas, que recuam após a Rússia dizer que notícias sobre grandes progressos nas negociações com Ucrânia estão erradas. Petróleo sobe, embora siga abaixo de US$ 100. Mercado ainda digere o Fomc, que iniciou ontem a alta dos juros e sinalizou outras seis nas reuniões restantes deste ano, mas ao mesmo tempo disse que a economia suporta o aperto. Juros dos treasuries e índice dólar recuam. Agenda ainda traz decisão do BOE, seguro-desemprego dos EUA e IBC-Br no Brasil.


Bom dia

Posts recentes

Ver tudo

Ontem: O Banco Central reforçou mensagem da ata do Copom de que busca a convergência da inflação para ao “redor da meta” em 2023, com a Selic mais alta por período mais longo. Segundo o presidente Rob

Ontem: Dólar se firma em alta no fim da tarde e encerra o dia perto dos R$ 5,20, pressionado pelos ruídos fiscais com as propostas do governo para aliviar os preços dos combustíveis e o cenário extern

Ontem: Ata do Copom com tom mais duro que o esperado abriu espaço para aperto para além de agosto e fortaleceu o real ao favorecer o carry. Exterior positivo também contribuiu para a moeda ficar entre