Buscar
  • Pedro Hernandez

Morning Call - 17/02/2021

Sexta: Ativos brasileiros encerram a semana ainda sem saber se a extensão do auxílio emergencial, já confirmada pelo presidente Jair Bolsonaro, teria contrapartidas fiscais, o que seguiu pesando sobre os negócios. Os juros futuros agregaram prêmio de risco por causa dessa incógnita, principalmente nos vértices médios e longos, enquanto os curtos subiram com IBC-Br acima do esperado. Mais bancos seguiram revisando para cima expectativa para taxa Selic. A bolsa igualmente foi afetada pela percepção de risco fiscal e encerrou o pregão em queda leve, enquanto teve baixa semanal em torno de 1%. Cielo afunda após BB descartar venda no momento. Já o dólar, que passou a se comportar mais comedidamente depois de intervenção do BC no dia 9, mostrou leve queda ao final da tarde, com real alinhado a pares emergentes. Em NY, as bolsas americanas encerraram o dia perto da estabilidade, ainda que próximas das máximas históricas, enquanto investidores aguardavam sinais de avanços sobre programa de ajuda.


Hoje: Dólar pode se ajustar em alta no pós-feriado em manhã com dados robustos nos EUA e que movimentam ativos. Juro do treasury de 10 anos cai após alta para 1,3% ontem fortalecer a moeda americana contra pares emergentes quando mercado esteve fechado no Brasil. Na bolsa, Petrobras e Vale podem ter ajuste positivo após ADRs subirem com avanço das commodities. Governo envia ao Congresso mudança do ICMS sobre combustível, segundo o Valor, enquanto petróleo WTI cai, ainda que siga perto de US$ 60 em NY, gerando potencial de impacto inflacionário no Brasil. Focus abre agenda semanal, com projeções para Selic revisada de 3,50% para 3,75% neste ano. Nos EUA, vendas no varejo têm maior alta em sete meses, PPI supera previsão e ata do Fomc sai ainda hoje. Na cena política, debate do auxílio emergencial perde espaço para noticiário sobre prisão de deputado do PSL, que cria embaraços para Bolsonaro e Lira. Guedes tenta amenizar impacto fiscal de medidas anticrise.


Bom dia e boa semana a todos.

Posts recentes

Ver tudo

Ontem: O Banco Central reforçou mensagem da ata do Copom de que busca a convergência da inflação para ao “redor da meta” em 2023, com a Selic mais alta por período mais longo. Segundo o presidente Rob

Ontem: Dólar se firma em alta no fim da tarde e encerra o dia perto dos R$ 5,20, pressionado pelos ruídos fiscais com as propostas do governo para aliviar os preços dos combustíveis e o cenário extern

Ontem: Ata do Copom com tom mais duro que o esperado abriu espaço para aperto para além de agosto e fortaleceu o real ao favorecer o carry. Exterior positivo também contribuiu para a moeda ficar entre