Buscar
  • Pedro Hernandez

Morning Call - 16/10/2019

O dólar ontem chegou a superar os R$ 4,17, em movimento de alta visto desde cedo, e atribuído por analistas às notícias de que China só vai comprar US$ 50 bilhões em produtos agrícolas norte-americanos se os EUA reverterem as tarifas aplicadas desde o início da guerra comercial. A moeda tem sido pressionada também desde que aumentou a perspectiva de queda mais acentuada do juro doméstico, o que reduz a atratividade do carry trade. O real tem a pior performance em grupos de principais moedas globais e de emergentes. Os juros futuros interromperam a sequência de fortes baixas e subiram junto com o dólar e ainda com um movimento de realização de lucros. Mais cedo, a operação da Polícia Federal contra o presidente do PSL, Luciano Bivar, foi citada como fator negativo para o mercado doméstico. O Ibovespa chegou a subir 0,7% na esteira da alta das bolsas americanas com balanços, mas reduziu o avanço ao longo da tarde. Lá fora, as bolsas americanas subiram lideradas pelo setor de saúde e de tecnologia após o início da temporada de balanços, apesar de preocupações com o andamento do acordo comercial entre EUA e China. O FMI reduziu pela 5ª vez seguida a projeção para crescimento global em 2019 de 3,2% para 3%, ao citar ampla desaceleração nas maiores economias mundiais à medida em que as tensões comerciais minam a expansão. O petróleo encerrou sessão em queda.


Hoje o S&P futuro tem leve baixa e as commodities caem após China ameaçar retaliar os EUA caso o Congresso americano apoie os manifestantes de Hong Kong. Nova escalada da tensão entre os dois países se soma ao agravamento do impasse sobre o Brexit, que enfraquece a libra. Queda do minério de ferro ainda é ampliada pela alta de produção das mineradoras. Dólar sobe contra maioria das moedas emergentes e juros das treasuries recuam com busca de proteção. Apesar do humor negativo, perdas das ativos de risco são discretas. Bolsas, que ontem se animaram com resultados de empresas americanas, aguardam novos balanços e dado de vendas no varejo nos EUA pode afetar apostas para Fed. No Brasil, Senado aprova o rateio do pré-sal, o que pode abrir caminho ao leilão da cessão onerosa e à votação da Previdência. Contudo, mal-estar com disputa entre PSL e Bolsonaro aumenta após operação da PF contra Bivar. Partido chegou a tentar obstruir medida do governo. O PSL recuou, mas tentativa teria sido um recado.


Bom dia a todos.

Posts recentes

Ver tudo

Ontem: A fala de Bruno Serra vista como dovish (flexível) pelo mercado derrubou os juros futuros e ajudou a reduzir a precificação de alta da Selic para as próximas reuniões. O diretor de Política Mon

Sexta: Jerome Powell deu alívio aos mercados ao final de uma semana marcada por forte volatilidade. O presidente do Fed afastou um aperto de juros mais agressivo nas próximas reuniões, apesar de númer

Ontem: A volatilidade dominou a sessão desta quinta-feira. O dólar chega ao final da tarde com leves oscilações enquanto o índice da moeda no exterior subiu com a busca por ativos seguros. Os juros fu