Buscar
  • Pedro Hernandez

Morning Call - 14/07/2020

Ontem: Um conjunto de notícias negativas dos EUA, algumas delas no front do coronavírus, azedaram o humor dos investidores, ao mesmo tempo em que proporcionaram espaço a uma realização de lucros em ativos de risco que foram favorecidos nos últimos dias. Houve recorde em hospitalizações na Califórnia, fechamento de restaurantes e bares e os dois principais distritos escolares do estado disseram que vão oferecer apenas aulas não presenciais durante o outono, mesmo que o governo Trump tenha pedido completa reabertura das escolas. Os EUA também informaram déficit orçamentário recorde de US$ 864,1 bi em junho e o governo americano chamou de ‘ilegais’ as reclamações chinesas sobre o Mar da China Meridional, alvo de disputas territoriais. Com tanta notícia ruim, tudo piorou a partir do meio da tarde: as bolsas americanas devolveram os ganhos - Nasdaq passou a cair depois de renovar máxima intradiária e o S&P 500 foi ao negativo após tocar o maior nível desde o final de fevereiro; o Ibovespa perdeu os 100.000 pontos e fechou na mínima do dia; o dólar acelerou avanço e superou R$ 5,40; os juros longos encerraram a sessão regular em alta. No campo das notícias nacionais, o vice-presidente Hamilton Mourão afirmou que a discussão sobre um imposto único tem que ser feita “mais cedo ou mais tarde” e que o tema “é o grande satã“ da reforma tributária.


Hoje: S&P futuro ensaia alta e moedas pares do real como o peso mexicano também esboçam melhora. Com a curva precificando 50% de chances de novo corte da Selic, mercado de juros pode reagir ao IBC-Br, que tem estimativa de alta de 4,5% em maio sobre abril, o pior mês da crise. Nos EUA, CPI é destaque da agenda juntamente com balanços de bancos como o JPMorgan. Petróleo volta a ceder com expectativa para decisão da Opep+. Metais recuam em Londres, apesar da surpresa positiva das exportações e importações da China. Na cena corporativa, Lojas Americanas precifica oferta, You Inc divulga prospecto de IPO e Petrobras volta a ser elegível a investimentos de fundo norueguês. Possibilidade de retomada da reforma tributária e de novo exame sobre Covid de Bolsonaro também são monitorados, assim como fala de Mourão no Senado sobre desmatamento.


Bom dia a todos.

Posts recentes

Ver tudo

Ontem: O Banco Central reforçou mensagem da ata do Copom de que busca a convergência da inflação para ao “redor da meta” em 2023, com a Selic mais alta por período mais longo. Segundo o presidente Rob

Ontem: Dólar se firma em alta no fim da tarde e encerra o dia perto dos R$ 5,20, pressionado pelos ruídos fiscais com as propostas do governo para aliviar os preços dos combustíveis e o cenário extern

Ontem: Ata do Copom com tom mais duro que o esperado abriu espaço para aperto para além de agosto e fortaleceu o real ao favorecer o carry. Exterior positivo também contribuiu para a moeda ficar entre