Buscar
  • Pedro Hernandez

Morning Call - 14/06/2021

Sexta: O anúncio da Petrobras de redução de preços da gasolina, a partir de sábado, fez os juros futuros curtos reverterem a alta a partir do início da tarde, enquanto pesou sobre as ações da empresa, que chegaram a cair mais de 1,5%. Mais tarde, os papéis da petrolífera reduziram a queda, com notícia de reajuste para cima dos preços de gás de cozinha. Isso também levou o Ibovespa a atenuar perdas, até o fechamento em baixa de 0,5%, o que ampliou a queda semanal para 0,53%. Juros médios e longos encerraram sessão regular em alta e a expectativa de que Copom retire menção à “normalização parcial” da política monetária cresceu, com mais um dado de atividade - o de serviços - reforçando visão otimista para a economia. O dólar subiu e encerrou a semana em alta de mais de 1%, depois de duas semanas seguidas de queda. O movimento deveu-se a ajuste e seguiu também a tendência vista no exterior. Lá fora, o S&P 500 e o Nasdaq subiram. Rendimentos dos Treasuries de 10 anos mantiveram-se em torno do nível mais baixo desde março, com os investidores continuando a avaliar as perspectivas para a inflação e a trajetória da política monetária do Fed.


Hoje: IBC-Br deve mostrar a atividade forte e a pesquisa Focus nesta manhã tende a reiterar as expectativas de alta para o PIB e a inflação. Números embalam as últimas apostas de que o Copom na quarta-feira manterá o ritmo de alta de 0,75pp da Selic, mas adotará um tom mais forte de comprometimento com a ancoragem das expectativas, possivelmente removendo a menção ao ajuste parcial. Taxa precificada na curva para dezembro passa dos 6,75%. Risco inflacionário já elevado pela alta das commodities se agrava com a crise hídrica. Jornais mostram que governo, embora siga descartando um racionamento, estuda ações que poderiam incluir restrições, além de altas adicionais da energia. No exterior, bolsas tentam manter avanço com esperança de que Fomc mantenha os estímulos, e petróleo sobe, mas moedas estão mistas e commodities agrícolas caem. Semana decisiva para juros aqui e no exterior também traz desafio para a MP da Eletrobras, a uma semana de a medida perder validade. Na frente da pandemia, jornais destacam antecipação da vacinação, que favoreceria trade da reabertura. No corporativo, Petrobras conclui recompra de títulos globais.


Bom dia e boa semana a todos.

Posts recentes

Ver tudo

Sexta: A deterioração da percepção de risco sobre as contas públicas ditou o rumo dos mercados locais e os juros futuros dispararam mais de 20 pontos nos trechos intermediário e longo da curva. O pres

Ontem: O Banco Central reforçou mensagem da ata do Copom de que busca a convergência da inflação para ao “redor da meta” em 2023, com a Selic mais alta por período mais longo. Segundo o presidente Rob

Ontem: Dólar se firma em alta no fim da tarde e encerra o dia perto dos R$ 5,20, pressionado pelos ruídos fiscais com as propostas do governo para aliviar os preços dos combustíveis e o cenário extern