Buscar
  • Pedro Hernandez

Morning Call - 13/09/2021

Sexta: A mudança de tom do presidente Jair Bolsonaro em relação ao STF foi insuficiente para proporcionar tranquilidade aos investidores e garantir reversão da cautela com o cenário político. Diante das incertezas sobre a duração da trégua e sobre o andamento das pautas econômicas, a opção foi por posturas defensivas, ainda mais às vésperas de manifestações contra o governo convocadas por ex-aliados. O dólar subiu mais de 1%, revertendo a baixa vista no início do dia. O Ibovespa caiu 0,9% e completou a segunda semana seguida de baixa. Os juros futuros encerraram a sessão regular em queda, em movimento de ajuste, mas sem que os vencimentos curtos e médios devolvessem toda a alta vista na quinta-feira antes do aceno do presidente. Vendas do varejo acima do esperado também limitaram a queda nos curtos. Curva de juros encerrou a semana projetando alta da Selic neste mês acima do 1pp sinalizado pelo BC, com analistas vendo maiores pressões sobre a inflação e desencoragem de expectativas. No exterior, os índices americanos caíram com investidores avaliando mensagens diversas sobre a recuperação econômica. Rendimento dos Treasuries subiu; índice dólar tem leve queda.


Hoje: Protestos contra o governo têm baixa adesão e Bolsonaro evita novas polêmicas no fim de semana, o que ajuda a preservar a trégua nas tensões políticas. Com o clima mais ameno, a equipe econômica tenta no Congresso um ajuste na PEC dos precatórios, enquanto comissão da Câmara pode discutir reforma administrativa. Mercado ainda avalia implementação de medida de política monetária do BC, que começa hoje a acolher depósitos voluntários remunerados. BC também divulga pesquisa Focus, após IPCA e varejo acima das estimativas na semana passada, e inicia rolagem de swaps. BNDES adota medida sobre dívida em meio à crise hídrica. No campo da pandemia, a falta de vacinas da Astra renova atrito de SP com governo federal. Mercado global tem desempenho misto, com bolsas em alta e minério de ferro em queda, na véspera do CPI nos EUA.


Bom dia e boa semana

Posts recentes

Ver tudo

Ontem: A fala de Bruno Serra vista como dovish (flexível) pelo mercado derrubou os juros futuros e ajudou a reduzir a precificação de alta da Selic para as próximas reuniões. O diretor de Política Mon

Sexta: Jerome Powell deu alívio aos mercados ao final de uma semana marcada por forte volatilidade. O presidente do Fed afastou um aperto de juros mais agressivo nas próximas reuniões, apesar de númer

Ontem: A volatilidade dominou a sessão desta quinta-feira. O dólar chega ao final da tarde com leves oscilações enquanto o índice da moeda no exterior subiu com a busca por ativos seguros. Os juros fu