Buscar
  • Vinicius Verdu

Morning Call - 13/06/2022

Sexta: O dólar chegou a disparar para R$ 5,00 até o início da tarde com a inflação acima do esperado nos Estados Unidos, o que provocou uma onda de aversão global por temores de aperto mais agressivo pelo Fed e de recessão. O CPI subiu 1% em maio, na comparação mensal, pior do que a estimativa de 0,7%, levando os yields dos Treasuries a 3,15% e as chances de alta de 0,75pp dos juros em julho a 50%. A moeda brasileira arrefeceu no final do dia e fechou em torno de R$ 4,98, enquanto os juros futuros apagaram a alta ao longo da tarde em ajuste antes do Copom. A curva manteve alguma aposta de alta adicional da Selic em agosto, depois do aumento de 0,5pp esperado para a próxima quarta-feira, quando o Fomc também se reúne. O Ibovespa caiu pela segunda semana seguida com o mau humor externo. Bolsas americanas recuaram perto de 3%. Por aqui, Petrobras e bancos pesaram na baixa do índice, além da Eletrobras, após precificação da oferta. Vale evitou recuo maior ao apagar a queda durante a tarde.


Hoje: Mercados globais aprofundam nesta manhã o selloff de ativos de risco que se seguiu ao CPI dos EUA pior que o esperado de sexta-feira. Rendimento dos treasuries amplia alta e mercado passa a precificar ao menos uma alta de 0,75pp de juro nos próximos encontros do Fed - que se reúne nesta semana. Curva americana aponta risco de recessão e alguns índices de ações chegam a cair mais de 3%. Commodities recuam com receio de aperto monetário global e também com a reversão do alívio de restrições contra a Covid na China. Dólar estende ganhos e peso mexicano chega a cair 2%. Câmbio e juros futuros tendem a refletir a pressão externa, embora a ponta curta dos juros por aqui possa ser parcialmente preservada pela possibilidade de o Copom, que decidirá horas após o Fed na quarta-feira, sinalizar o fim do aperto. Agenda traz estreia das ações da Eletrobras privatizada na bolsa e divulgação da balança. Pesquisa Focus não está prevista para hoje. Na política, Jair Bolsonaro pede ajuda a Joe Biden na reeleição, segundo fontes. Governo não respondeu pedido de comentário. Congresso tenta votar na semana projetos para energia e combustíveis.


Bom dia e boa semana

Posts recentes

Ver tudo

Sexta: Apetite ao risco no exterior, enquanto operadores ponderaram chance de Fed desacelerar ritmo do aperto em setembro, e relatos de fluxo doméstico sustentaram a dinâmica positiva dos ativos locai

Ontem: Avanço dos yields e realização de lucros pressionam dólar, que fechou em alta superior a 1%. Moeda renovou a máxima perto de R$ 5,17 e real anotou o pior desempenho entre emergentes. Rendimento

Ontem: Reversão da queda dos yields americanos freou o ímpeto de queda do DI, que chegou a mergulhar pela manhã com o CPI abaixo do esperado nos EUA. Inflação americana aumentou chance de 0,50pp pelo