Buscar
  • Pedro Hernandez

Morning Call - 13/05/2020

Ontem: A notícia sobre o suposto conteúdo do vídeo da reunião ministerial de 22 de abril, citada por Sergio Moro em seu depoimento à Polícia Federal, estressou os ativos brasileiros no período da tarde e fez o dólar superar os R$ 5,88, levando o BC a intervir pontualmente com um leilão de swap, o que não impediu a moeda de bater novo recorde intradiário, a R$ 5,8892, após a atuação. Segundo o Globo, Bolsonaro afirma, na gravação, que a troca na PF seria para proteger familiares e aliados e que demitiria Moro caso não pudesse mudar o comando da PF-RJ. Em nota, o advogado de Moro disse que o vídeo confirma integralmente o relato do ex-ministro da Justiça. Já o presidente disse ter “zero” motivo de preocupação e que as palavras “Polícia Federal” e “superintendência” não aparecem no vídeo. Sem que o vídeo tenha sido divulgado publicamente e na íntegra, o mercado incorporou prêmios de risco. A bolsa reverteu ganhos e fechou na mínima do dia e os juros futuros longos, que já tinham passado da queda à alta com a piora externa, ampliaram o movimento. No EXTERIOR, as bolsas americanas caíram após alertas de Anthony Fauci, principal autoridade de combate às doenças infecciosas nos EUA, sobre o risco de uma reabertura prematura da economia em meio à pandemia, além de visões pessimistas de autoridades do Fed a respeito da recuperação econômica. Hoje: O mercado deve manter a linha defensiva após o receio de que o vídeo da reunião ministerial citada por Moro agrave a crise política que ajudou o dólar a renovar recorde ontem. Depoimentos de ministros aparentemente favoreceram o presidente, mas eventual íntegra da gravação ainda poderá gerar ruídos. STF dá 48 horas para as partes envolvidas falarem sobre fim do sigilo, segundo os jornais. Tensão com o vídeo atingiu ápice ontem justamente quando as mortes pelo Covid superaram 800, em novo recorde no país, que não deve acompanhar no mesmo passo a tendência de reabertura da economia global. Em outra frente, Bolsonaro sinalizou que pode anunciar hoje os vetos ao reajuste de servidores, mas Estado diz que ele segura a medida à espera de aumento de policiais no DF. Na economia, vendas no varejo e revisão das projeções do governo para PIB devem reforçar cenário de forte impacto da pandemia na atividade. No exterior, fala de Powell e PPI são destaques e mercados ensaiam viés positivo após quedas fortes das bolsas americanas ontem. Bom dia a todos.

Posts recentes

Ver tudo

Ontem: O Banco Central reforçou mensagem da ata do Copom de que busca a convergência da inflação para ao “redor da meta” em 2023, com a Selic mais alta por período mais longo. Segundo o presidente Rob

Ontem: Dólar se firma em alta no fim da tarde e encerra o dia perto dos R$ 5,20, pressionado pelos ruídos fiscais com as propostas do governo para aliviar os preços dos combustíveis e o cenário extern

Ontem: Ata do Copom com tom mais duro que o esperado abriu espaço para aperto para além de agosto e fortaleceu o real ao favorecer o carry. Exterior positivo também contribuiu para a moeda ficar entre