Buscar
  • Pedro Hernandez

Morning Call - 12/03/2021

Ontem: Dólar teve a terceira queda forte seguida, repetindo a dose de baixa da véspera, de mais de 2%, com percepção de um BC atuante para impedir níveis mais elevados da moeda e também com redução de hedge cambial. Autoridade vendeu mais US$ 1 bi em leilão de swap cambial anunciado na véspera. Exterior propenso a ativos de maior risco, aprovação da PEC Emergencial por aqui e expectativa de vacinas também ajudaram e levaram o Ibovespa à tentativa de recuperar os 115.000 pontos e a subir quase 2%. Nos juros futuros, o IPCA acima do esperado puxou para cima a ponta curta da curva, com reforço das expectativas de alta da Selic pelo BC, o que gerou a reação clássica de baixa na ponta longa. Os longos também foram ajudados pelo exterior benigno e pela aprovação da PEC em segundo turno pela Câmara, com votação dos destaques em andamento. Equipe econômica já trabalha com a possibilidade de que a nova rodada de auxílio emergencial acabe durando mais do que os quatro meses previstos na PEC. As bolsas americanas subiram com rali das ações de tecnologia, sinais de estabilização do rendimento dos Treasuries e pacote de ajuda de US$ 1,9 tri.


Hoje: Banco Central volta a pré-anunciar leilão de swap, mesmo após o dólar cair 4,6% nos dois últimos dias, o que pode ajudar o real a seguir com desempenho superior aos pares. Mercado precifica alta de 0,50 pp da Selic no próximo Copom, mas com chance de 0,75 pp ainda perto de 50% mesmo com o BC mais ativo no câmbio. Aprovação final da PEC emergencial, que pode abrir espaço no Congresso a outras reformas, também deve ajudar mercado. Ao contrário dos dias anteriores, porém, hoje a volatilidade externa joga contra os ativos brasileiros. Bolsas e moedas emergentes caem com volta da pressão nos yields dos títulos e receio de repressão da China à gigante tecnológica Tencent. Covid perto de recordes no Brasil segue como ameaça a um cenário mais positivo no curto prazo. Planalto vê média de 2.000 mortes ao dia por seis semanas. Juros no Brasil ainda podem reagir a dado do varejo, enquanto PPI é destaque nos EUA. No corporativo, Castello Branco pode ir para conselho da Vale, diz Valor, e Eletrobras adia balanço para 15 de março.


Bom dia e bom final de semana a todos.

Posts recentes

Ver tudo

Sexta: Apetite ao risco no exterior, enquanto operadores ponderaram chance de Fed desacelerar ritmo do aperto em setembro, e relatos de fluxo doméstico sustentaram a dinâmica positiva dos ativos locai

Ontem: Avanço dos yields e realização de lucros pressionam dólar, que fechou em alta superior a 1%. Moeda renovou a máxima perto de R$ 5,17 e real anotou o pior desempenho entre emergentes. Rendimento

Ontem: Reversão da queda dos yields americanos freou o ímpeto de queda do DI, que chegou a mergulhar pela manhã com o CPI abaixo do esperado nos EUA. Inflação americana aumentou chance de 0,50pp pelo