Buscar
  • Pedro Hernandez

Morning Call - 11/11/2020

Ontem: O Ibovespa completou a sexta alta seguida e foi aos 105.000 pontos, sem se incomodar com a pausa no longo rali das bolsas americanas com eleição nos EUA e expectativa por vacina contra o coronavírus. A bolsa subiu com fatores internos, entre os quais a fala de Paulo Guedes sobre privatização, morte não relacionada a vacina e otimismo com vendas varejo amanhã. Bancos e Petrobras, que subiu mais de 6% com recuperação do preço do petróleo, puxaram o índice. Eletrobras foi à máxima intradiária após Guedes falar que empresa está entre as estatais que serão privatizadas até final de 2021. O dólar teve sessão volátil e fechou em alta de 0,6% após fala de Bolsonaro sobre preocupação com o fim do auxílio emergencial em dezembro. A queda vista depois do meio-dia até a mínima de R$ 5,3382 ensejou compras, com mercado de olho nas pressões sazonais e de redução de overhedge que devem vir no mês que vem. Os juros futuros fecharam com alta modesta nos vértices médios e longos, em ajuste depois das quedas anteriores. O Tesouro vendeu bem as NTN-Bs mais curtas oferecidas em leilão hoje e teve um pouco mais de dificuldade de colocar as longas. Lá fora, as bolsas seguiram direções mistas, com S&P 500 em leve queda e Nasdaq em baixa de mais de 1%.


Hoje: Bolsas e commodities sobem no exterior e ajudam a amenizar barulho interno causado por falas de Bolsonaro. Presidente deixa de lado o estilo mais ameno dos meses anteriores e fala em usar pólvora ao reagir a comentários de Joe Biden sobre a Amazônia, embora sem citá-lo nominalmente. Também chama de maricas as pessoas que se preocupam com a covid. Em outra confusão, sobre a Coronavac, STF pede informações sobre suspensão dos testes pela Anvisa e comissão da Câmara pode votar pedido de esclarecimentos, enquanto Maia defende vacina e independência dos órgãos reguladores. No campo da economia, otimismo com retomada pode ser reforçado hoje por dado de varejo, mas contrapartida vem do IPC-Fipe, que mostra inflação pressionada no começo de novembro. Bateria de balanços após fechamento inclui Eletrobras e JBS. Lucro da BR Distribuidora frustra estimativa e o do Carrefour Brasil supera previsões. Agenda externa fraca com feriado nos EUA traz fala de Lagarde, do BCE.


Bom dia a todos.

Posts recentes

Ver tudo

Ontem: A fala de Bruno Serra vista como dovish (flexível) pelo mercado derrubou os juros futuros e ajudou a reduzir a precificação de alta da Selic para as próximas reuniões. O diretor de Política Mon

Sexta: Jerome Powell deu alívio aos mercados ao final de uma semana marcada por forte volatilidade. O presidente do Fed afastou um aperto de juros mais agressivo nas próximas reuniões, apesar de númer

Ontem: A volatilidade dominou a sessão desta quinta-feira. O dólar chega ao final da tarde com leves oscilações enquanto o índice da moeda no exterior subiu com a busca por ativos seguros. Os juros fu