Buscar
  • Mateus Cosac

Morning Call - 11/09/2019

Em sessão volátil e sem drivers fortes, os ativos chegaram ao final do pregão de ontem com movimentos mais leves, à espera das decisões dos grandes bancos centrais. O dólar chegou a avançar para R$ 4,12 durante a manhã, como reflexo da busca por hedge e troca de dívidas das empresas, mas acabou beneficiado pela melhora dos pares emergentes e encerrou o dia perto da mínima (R$ 4,08). Os juros futuros, em leve alta, seguiram movimento global de abertura de taxas. Já o Ibovespa, após operar no positivo em parte do dia, encerrou o pregão estável à medida que as bolsas americanas apagaram as perdas. Bancos e o varejo, pressionado pela Amazon, foram destaques negativos no índice.


No exterior, prevaleceu a expectativa com série de reuniões de bancos centrais globais e possíveis medidas de estímulos diante da desaceleração econômica. Primeiro, o BCE na quinta-feira e, na próxima semana, Fomc, BOE e o BC aqui no Brasil. O petróleo caiu depois que Trump demitiu o conselheiro de Segurança Nacional, John Bolton, o que pode acalmar as preocupações sobre quaisquer inclinações da Casa Branca em usar o poder militar em meio às crescentes tensões geopolíticas no Oriente Médio e na Ásia.


Hoje as bolsas europeias avançam, enquanto o S&P futuro opera estável, diante de sinais de que a China tentará aliviar o impacto da guerra comercial em sua economia. No câmbio, contudo, moedas emergentes seguem pressionadas ante o dólar, enquanto rendimentos das treasuries recuam. Agenda nos EUA destaca PPI enquanto investidores monitoram expectativas para BCE amanhã e FOMC na próxima semana. No Brasil, vendas no varejo de julho podem mostrar leve alta no comparativo mensal, sem alterar percepção de atividade fraca que alimenta apostas emn corte da Selic. B3 indica que estrangeiro retirou R$ 2,03 bi em ações na última semana, apesar da alta do Ibovespa. Governo deve apresentar sugestões para reforma tributária, em meio a debates sobre nova CPMF, e previdência segue em tramitação, após senadores negarem retorno da PEC à Câmara.


Bom dia a todos.

Posts recentes

Ver tudo

Morning Call - 18/06/2021

Ontem: Os juros futuros curtos e médios dispararam e a curva perdeu a inclinação após o Copom adotar uma comunicação hawkish e deixar janela aberta para acelerar ritmo de alta da Selic, caso as expect

Morning Call - 17/06/2021

Ontem: A previsão de dirigentes do Fed de que os juros nos EUA podem ter dois aumentos até final de 2023 - um ritmo de aperto mais rápido do que o esperado - trouxe pressão aos ativos no exterior e no

Morning Call - 16/06/2021

Ontem: Os juros futuros curtos estenderam a alta, no aguardo de decisões do Fed e do Copom. O dólar virou para a queda no período da tarde, com fluxo vendedor e também na esteira da expectativa de alt