Buscar
  • Pedro Hernandez

Morning Call - 11/03/2021

Ontem: Duas atuações surpreendentes do BC foram as principais responsáveis para o dólar sair de um nível de R$ 5,81, na máxima do dia, para R$ 5,65 perto do fechamento, rumo à maior baixa em quase dois meses. A primeira foi um leilão de swap logo no começo dos negócios, quando o dólar tinha pouca alteração e a segunda, leilão de moeda à vista, quando a moeda já operava em queda. Ambas levaram analistas a considerarem que o BC está mais preocupado com o nível do câmbio e quer evitar uma alta mais agressiva da Selic no dia 17, contendo a escalada do dólar desde já. À tarde, a baixa do dólar foi ampliada com rejeição de destaques do PT à PEC Emergencial, que estava em votação na Câmara em primeiro turno. Houve acordo para permitir a policiais e servidores públicos a promoção e progressão de carreira em momentos de calamidade, em modificação a ser votada em segundo turno. Os juros futuros reduziram a alta no mesmo embalo e o Ibovespa firmou posição no terreno positivo. Índice subiu também com otimismo em relação à aquisição de vacinas e alta das bolsas em NY.


Hoje: Mesmo após o dólar despencar ontem 2,3%, o Banco Central já programou leilão de US$ 1 bilhão em swaps para hoje. Anúncio antecipado deve reforçar a percepção de alguns analistas de que, ao atuar duas vezes ontem quando o câmbio não parecia sofrer pressão fora do comum, BC estaria mudando sua estratégia. Ideia seria calibrar o nível do câmbio para eventualmente impedir que um dólar mais alto puxe as expectativas de inflação e force alta muito mais agressiva da Selic na próxima semana. Além do BC, quadro externo pode ajudar a derrubar o dólar. Bolsas, moedas emergentes e commodities sobem com baixa nos yields após alívio com CPI nos EUA ontem e antes do BCE nesta quinta. Mercado ainda monitora votação da PEC emergencial em 2º turno, que tem acordo para destaque. Juros reagem ao IPCA, que tem estimativa de aceleração e pode influenciar apostas no Copom, e ao leilão do Tesouro. Mortes por Covid acima de 2.000 pela 1ª vez assustam e governo amplia esforço por vacina após críticas de Lula a Bolsonaro por gestão da pandemia. Em linhas gerais, fala de Lula foi vista como moderada. Agenda externa ainda traz seguro-desemprego nos EUA. No Brasil, além dos leilões no câmbio, BC prorroga alíquota temporária de 17% do compulsório a prazo.


Bom dia a todos.

Posts recentes

Ver tudo

Ontem: O Banco Central reforçou mensagem da ata do Copom de que busca a convergência da inflação para ao “redor da meta” em 2023, com a Selic mais alta por período mais longo. Segundo o presidente Rob

Ontem: Dólar se firma em alta no fim da tarde e encerra o dia perto dos R$ 5,20, pressionado pelos ruídos fiscais com as propostas do governo para aliviar os preços dos combustíveis e o cenário extern

Ontem: Ata do Copom com tom mais duro que o esperado abriu espaço para aperto para além de agosto e fortaleceu o real ao favorecer o carry. Exterior positivo também contribuiu para a moeda ficar entre