Buscar
  • Vinicius Verdu

Morning Call - 10/06/2022

Ontem: Juros futuros registraram fortes quedas com o IPCA de maio abaixo do previsto. Apesar do alívio antes da reunião do Copom na próxima semana, analistas se mostraram divididos quanto aos próximos passos do BC depois da alta esperada de 0,5pp neste mês. A curva de juros, no entanto, manteve apostas de aumento da Selic em agosto. O dólar subiu e encerrou o dia em torno dos R$ 4,91, e o Ibovespa caiu mais de 1% em reação à perspectiva de aumento de juros na Europa e novos lockdowns na China. O BCE manteve o juro e sinalizou início do ciclo de alta em julho com +0,25pp. Internamente, além das propostas do governo para conter a alta dos combustíveis, Paulo Guedes pediu a supermercados para que segurem os preços até o ano que vem. Bolsas americanas cairam e os yields de 10 anos subiram.


Hoje: Bolsas europeias estendem as perdas e índice dólar sustenta alta antes de dado que pode mostrar que a inflação se acelerou em maio nos EUA e se manteve acima de 8% em doze meses. CPI deve influenciar apostas para as sinalizações do Fomc da próxima quarta, um dia após mensagem mais dura do BCE, que pressionou os yields europeus e o câmbio. No Brasil, dado do varejo deve mostrar crescimento na sequência de IPCA abaixo do esperado, que derrubou os juros futuros, embora sem eliminar prêmios para aperto monetário mais prolongado. Credit Suisse reduz projeções para a inflação e Selic. Mercado monitora eventual fluxo externo com a oferta que privatiza Eletrobras, que saiu a R$ 42 por ação, com desconto perto de 2,4%. MME divulga indicados ao conselho da Petrobras. Texto do PT sobre reforma trabalhista gera debate e pode mudar, dizem jornais.


Bom dia e bom final de semana

Posts recentes

Ver tudo

Ontem: O Banco Central reforçou mensagem da ata do Copom de que busca a convergência da inflação para ao “redor da meta” em 2023, com a Selic mais alta por período mais longo. Segundo o presidente Rob

Ontem: Dólar se firma em alta no fim da tarde e encerra o dia perto dos R$ 5,20, pressionado pelos ruídos fiscais com as propostas do governo para aliviar os preços dos combustíveis e o cenário extern

Ontem: Ata do Copom com tom mais duro que o esperado abriu espaço para aperto para além de agosto e fortaleceu o real ao favorecer o carry. Exterior positivo também contribuiu para a moeda ficar entre