Buscar
  • Mateus Cosac

Morning Call - 10/02/2020

A onda de aversão a risco centrada no coronavírus tornou-se mais intensa na sexta-feira, com o aumento de casos de infecção e impactos em empresas, o que fortaleceu o dólar, derrubou as bolsas, pressionou as commodities e levou à queda dos rendimentos dos títulos americanos, na busca dos investidores por segurança. Aqui, o dólar chegou ao patamar inédito de R$ 4,32 e bateu novo recorde de fechamento, mas o real não descolou de pares emergentes. Tal quadro de piora acabou por afetar a parte longa da curva de juros, onde as taxas reverteram baixa vista pela manhã. Já os juros curtos e médios mantiveram queda, ancorados pelo IPCA de janeiro abaixo do esperado. O Ibovespa caiu pela segunda sessão seguida, reduzindo a alta semanal. Exportadoras como Vale e frigoríficos foram os destaques de queda com impacto da situação na China. No EXTERIOR, as bolsas americanas estenderam quedas à tarde à medida em que os investidores pesaram o impacto econômico do coronavírus em contraponto aos números de emprego nos EUA. O Fed alertou que o vírus traz ‘novo risco’ para crescimento global. “Devido ao tamanho da economia chinesa, um problema significativo na China pode transbordar para os mercados norte-americano e global por meio de uma redução do apetite por risco, valorização do dólar e declínio dos preços do comércio e das commodities”, escreveu o Banco Central dos EUA. A criação de vagas nos EUA em janeiro superou estimativas e ganhos salariais aceleraram. Na China, a infecção pelo vírus se espalhou em hospital de Wuhan, segundo uma publicação médica na sexta feira. A Foxconn, parceiro mais importante da Apple, disse aos funcionários em suas instalações em Shenzhen para não voltarem ao trabalho depois que o feriado prolongado do Ano Novo Lunar terminar em 10 de fevereiro. Toyota e Honda interromperam temporariamente as operações na China. Casos confirmados de infectados pelo coronavírus em todo o mundo agora totalizam 31.432, tendo aumentado mais de 3.000 em um dia, enquanto o número de mortos chegou a 638.


A semana começa com as bolsas globais operando com leve viés negativo e as commodities estendem baixa em meio à cautela com sinais de propagação do coronavírus, enquanto empresas retomam atividades na China. Yuan e dólar australiano se fortalecem com estímulo a ser promovido pelo BC chinês, mas maioria das moedas emergentes tem desempenho misto. No Brasil, BC divulga Focus após dólar superar os R$ 4,30 na sexta com incerteza externa combinada com queda dos juros futuros após IPCA desacelerar mais que o previsto. Governo tenta deslanchar a reforma administrativa após fala de Guedes sobre servidor parasita gerar barulho na mídia.


Bom dia e boa semana a todos.

Posts recentes

Ver tudo

Morning Call - 18/06/2021

Ontem: Os juros futuros curtos e médios dispararam e a curva perdeu a inclinação após o Copom adotar uma comunicação hawkish e deixar janela aberta para acelerar ritmo de alta da Selic, caso as expect

Morning Call - 17/06/2021

Ontem: A previsão de dirigentes do Fed de que os juros nos EUA podem ter dois aumentos até final de 2023 - um ritmo de aperto mais rápido do que o esperado - trouxe pressão aos ativos no exterior e no

Morning Call - 16/06/2021

Ontem: Os juros futuros curtos estenderam a alta, no aguardo de decisões do Fed e do Copom. O dólar virou para a queda no período da tarde, com fluxo vendedor e também na esteira da expectativa de alt