Buscar
  • Pedro Hernandez

Morning Call - 08/03/2021

Sexta: A aprovação da PEC Emergencial no Senado continuou tendo repercussão positiva no mercado local, especialmente na bolsa, que subiu também com a recuperação dos bancos, e nos juros futuros, que caíram com devolução de prêmios de risco e a baixa do yield dos Treasuries. Já o dólar sofreu forte volatilidade diante de números mais robustos do mercado de trabalho nos EUA e teve alta mais firme durante a tarde, embora leve, na esteira do fortalecimento externo da moeda americana. A curva de juros reduziu precificação de alta da Selic no dia 17, agora cristalizada em 0,50 pp. Na semana, a terceira seguida de avanço, o dólar teve uma alta perto de 1,5%, enquanto o Ibovespa ganhou quase 5%. A dose de alívio nos últimos dias não encobriu, porém, o aumento da preocupação de investidores e gestores com o recrudescimento da pandemia, a gestão desordenada das vacinas e as pressões inflacionárias. As bolsas americanas subiram com a entrada de força compradora para as ações após a queda alimentada pelo aquecimento do mercado de trabalho nos EUA.


Hoje: Volatilidade externa segue alta, com dados positivos da balança na China ofuscados pela pressão nos títulos americanos. Nasdaq futuro chegou a cair mais de 2% e moedas pares do real têm baixa expressiva, enquanto bolsas europeias e minério de ferro destoam e sobem. Petróleo apaga alta registrada mais cedo após Arábia Saudita dizer que ataques que visaram instalações do país foram interceptados. Tensão externa se soma às incertezas locais. Com números da Covid perto de recorde e UTIs cheias, governadores tentam articular restrições e compra de vacinas, que tiveram redução em projeções, dizem jornais. Segundo o Estado, EUA veem pandemia no Brasil como ameaça ao mundo. Mídia também relata pressões da oposição e também de aliados de Bolsonaro contra o limites de gastos na PEC emergencial, cujo parecer pode ser apresentado hoje na Câmara. No corporativo, Guedes tenta manter Brandão no BB, diz Globo.


Bom dia e boa semana a todos.

Posts recentes

Ver tudo

Ontem: O Banco Central reforçou mensagem da ata do Copom de que busca a convergência da inflação para ao “redor da meta” em 2023, com a Selic mais alta por período mais longo. Segundo o presidente Rob

Ontem: Dólar se firma em alta no fim da tarde e encerra o dia perto dos R$ 5,20, pressionado pelos ruídos fiscais com as propostas do governo para aliviar os preços dos combustíveis e o cenário extern

Ontem: Ata do Copom com tom mais duro que o esperado abriu espaço para aperto para além de agosto e fortaleceu o real ao favorecer o carry. Exterior positivo também contribuiu para a moeda ficar entre