Buscar
  • Pedro Hernandez

Morning Call - 08/01/2021

Ontem: O dólar avançou 2% em meio ao fortalecimento global da moeda americana, em sessão sem a atuação do Banco Central para conter a alta, como ocorrido na véspera. Os juros futuros avançaram mais de 20 pontos nas taxas mais longas com aumento da oferta de papel prefixado longo no leilão do Tesouro. Na contramão, o Ibovespa bateu novo recorde após alcançar a marca de 122.000 pontos impulsionado pelo fluxo estrangeiro para ações, expectativa de estímulos mais amplos nos EUA com democratas no comando do Congresso e da presidência, além de otimismo com vacina. A taxa de eficácia da vacina do Butantan divulgada mais cedo chegou a 78% em casos leves e a 100% nas ocorrências moderadas e graves, segundo a instituição. Nos EUA, democratas no Congresso pedem a remoção de Donald Trump da presidência depois que seus apoiadores invadiram o Capitólio nesta quarta-feira.


Hoje: Bolsas europeias sustentam alta e índice de ações emergentes sobe 1,5%, enquanto o petróleo e o minério de ferro mantêm os ganhos que ajudaram o Ibovespa a superar os 122.000 pontos nesta quinta-feira. Expectativa de mais estímulos nos EUA impulsiona as ações. Nesta manhã, índice dólar interrompe alta. Nos juros, pressão foi potencializada pelo leilão do Tesouro, mas é estimulada também pelo quadro externo de yields em alta e incertezas fiscais domésticas. Receio de extensão do auxílio emergencial tende a crescer com novo recorde da Covid, com 87.843 casos diários. Assim como no exterior, a 2ª onda da doença não tem alívio de curto prazo com vacinas no Brasil. Butantan pode pedir uso emergencial da Coronavac à Anvisa hoje. Agenda pesada de dados tem potencial de impacto no mercado com payroll nos EUA e produção industrial, além do IGP-DI, no Brasil. Na cena corporativa, Petrobras tem recorde de produção, Vale bate nível histórico na bolsa mesmo com discussão sobre Brumadinho ficando para próxima semana e Camil quase dobra o lucro.


Bom dia e bom final de semana a todos.

Posts recentes

Ver tudo

Ontem: A fala de Bruno Serra vista como dovish (flexível) pelo mercado derrubou os juros futuros e ajudou a reduzir a precificação de alta da Selic para as próximas reuniões. O diretor de Política Mon

Sexta: Jerome Powell deu alívio aos mercados ao final de uma semana marcada por forte volatilidade. O presidente do Fed afastou um aperto de juros mais agressivo nas próximas reuniões, apesar de númer

Ontem: A volatilidade dominou a sessão desta quinta-feira. O dólar chega ao final da tarde com leves oscilações enquanto o índice da moeda no exterior subiu com a busca por ativos seguros. Os juros fu