Buscar
  • Pedro Hernandez

Morning Call - 06/12/2021

Sexta: Juros futuros estenderam baixas e vários vértices intermediários e longos caíram mais de 30 pontos, em dia de queda dos yields no exterior e de surpresa com retração da produção industrial doméstica, na sequência da contração do PIB. A poucos dias da reunião Copom, o mercado reforçou apostas de alta de 1,5 pp a Selic, mas já começa a cultivar expectativas de desaceleração das elevações em fevereiro. O dólar subiu, em sessão de perdas para divisas emergentes e fechou a semana em avanço de mais de 1%. O Ibovespa chegou a subir mais de 2% ao final da manhã, mas perdeu fôlego com a queda das bolsas de Nova York e se manteve em terreno positivo ao final da tarde. Payroll dos EUA veio misto. O crescimento das vagas de emprego desacelerou em novembro, enquanto a taxa de desemprego caiu mais do que o previsto, mas dados não foram vistos como capazes de mudar o sinal do Fed de aceleração da redução das compras de ativos.


Hoje: Bolsonaro diz que a Petrobras começa esta semana a reduzir o preco do combustível. Anúncio ocorre nas vésperas da Copom, que deve elevar a Selic em 1,5pp na quarta-feira, enquanto o mercado debate se BC sinalizará outro aumento igual ou se iniciará uma suavização de discurso diante da frustração com os dados recentes de produção industrial e PIB. Redução dos combustíveis seria viabilizada pela queda de cerca de 15% do petróleo nos últimos 30 dias. No exterior, bolsas europeias sobem na contramão da queda dos mercados asiáticos com ômicron e setor de tecnologia na China em foco. Mercados esperam ainda pistas sobre juros dos BCs com CPIs nos EUA e China na semana. Agenda hoje destaca Focus, que deve reduzir ainda mais as projeções para o PIB, dados da Anfavea e swaps para overhedge, além de participações de Silva e Luna e Guedes em eventos. Governo reduz projeção de déficit em 2022.


Bom dia e boa semana

Posts recentes

Ver tudo

Ontem: Em meio a uma sessão de volatilidade na véspera de decisão do Fed e com riscos geopolíticos relacionados à Ucrânia, os ativos brasileiros aproveitaram uma melhora de NY à tarde, movida por busc

Ontem: O cenário de aversão ao risco no exterior, com as tensões entre Rússia e Ucrânia, às vésperas de decisão do Fed sobre política monetária, contagiou os ativos domésticos. O Ibovespa perdeu em to

Sexta: O risco fiscal voltou a arranhar o humor para os ativos domésticos, após o presidente Jair Bolsonaro confirmar que o governo negocia com o Congresso uma PEC para “praticamente zerar” PIS/Cofins