Buscar
  • Pedro Hernandez

Morning Call - 06/11/2020

Ontem: Ativos globais e também brasileiros estenderam ganhos nesta quinta-feira, com perspectivas positivas diante das eleições nos EUA e de fala de Jerome Powell, presidente do Fed, de que provavelmente será necessário mais apoio fiscal e monetário. Powell disse que o aumento de casos de coronavírus é preocupante e que recuperação total é improvável até que a população se sinta segura. Por mais de uma vez ressaltou a necessidade de apoio fiscal e disse que muitos, tanto no partido republicano quanto no democrata, veem necessidade de estímulos. Ao mesmo tempo, assinalou que o Fed não está sem poder na política monetária. Enquanto isso, Joe Biden seguia à frente na corrida eleitoral e sem controle do Senado, o que é visto como um fator a impedir um grande aumento de impostos ou mudanças regulatórias que possam afetar setores como o de tecnologia. Ibovespa subiu quase 3%, de volta aos 100.000 pontos e o dólar caiu quase 2%. Presidente do BC, Roberto Campos Neto, reforçou que o fiscal é fundamental para manter o forward guidance.


Hoje: Rali de ativos de risco tem pausa e futuros de NY caem após o S&P 500 subir 7,4% nos 4 pregões anteriores à medida que a contagem de votos prossegue nos EUA em dia de divulgação do payroll. Ainda sem confirmação de vitória, democrata Joe Biden assume liderança na Geórgia, mas margem estreita de votos ante Donald Trump impede que seja declarado o placar final no estado. Juro dos Treasuries e índice dólar estão estáveis. No Brasil, IGP-DI sai antes do IPCA de outubro, que tem estimativa de alta de 0,84% no comparativo mensal. Dados podem movimentar os juros, que recuaram ontem quando o Ibovespa superou 100.000 pontos e o dólar caiu para R$ 5,5397 com sinal de mais apoio do Fed e bom humor com quadro eleitoral norte-americano. Presidente do BC, Roberto Campos Neto, se encontra com novo CEO do Itaú, Milton Maluhy Filho. Guedes tem videoconferência com a Standard & Poor’s. Enjoei precifica IPO em R$ 10,25 por ação, no piso da faixa.


Bom dia e bom final de semana a todos.

Posts recentes

Ver tudo

Sexta: Apetite ao risco no exterior, enquanto operadores ponderaram chance de Fed desacelerar ritmo do aperto em setembro, e relatos de fluxo doméstico sustentaram a dinâmica positiva dos ativos locai

Ontem: Avanço dos yields e realização de lucros pressionam dólar, que fechou em alta superior a 1%. Moeda renovou a máxima perto de R$ 5,17 e real anotou o pior desempenho entre emergentes. Rendimento

Ontem: Reversão da queda dos yields americanos freou o ímpeto de queda do DI, que chegou a mergulhar pela manhã com o CPI abaixo do esperado nos EUA. Inflação americana aumentou chance de 0,50pp pelo