Buscar
  • Pedro Hernandez

Morning Call - 06/07/2020

Sexta: Em meio à liquidez mais fraca devido ao feriado de Independência dos EUA, os ativos brasileiros tiveram espaço para consolidar ganhos semanais. O dólar caiu e ampliou a baixa semanal - a primeira em três semanas - para cerca de 3% ao final da tarde, enquanto o real voltava ao posto de melhor performance entre divisas emergentes. O Ibovespa teve alta moderada e ganho também de 3% na semana. Os juros futuros cederam nos vértices médios e longos com devolução de prêmios de risco. Diretor de Política Econômica do BC, Fabio Kanczuk, disse que a autoridade monetária está olhando bastante para os indicadores de atividade e, a despeito das incertezas, não tem no seu cenário-base uma segunda onda de contaminação do Covid-19, tampouco uma retomada em formato de “V”.


Hoje: Ações globais e commodities estendem rali após mídia estatal chinesa reforçar o otimismo do mercado, levando a bolsa de Xangai a disparar mais de 5%. Vigor da China se soma a dados de emprego acima do previsto nos EUA que impulsionaram os ativos na última semana e ajuda a contrabalançar evidências de avanço da pandemia em alguns lugares. Guedes diz que economia mostra rápida retomada. Focus e Anfavea abrem semana que terá IPCA e vendas no varejo como destaque na agenda local. EUA divulgam PMI serviços. Brasil tem mais de 1,6 mi de infectados, mas números altos não impedem reabertura de bares e restaurantes em SP. Globalmente, a Índia supera a Rússia em casos da doença. Na política, votações sobre fake news na semana e articulação contra vetos à lei sobre máscaras podem testar trégua entre governo e Congresso. Na cena corporativa, China suspende as importações de unidades da JBS e BRF.


Bom dia e boa semana a todos.

Posts recentes

Ver tudo

Sexta: Apetite ao risco no exterior, enquanto operadores ponderaram chance de Fed desacelerar ritmo do aperto em setembro, e relatos de fluxo doméstico sustentaram a dinâmica positiva dos ativos locai

Ontem: Avanço dos yields e realização de lucros pressionam dólar, que fechou em alta superior a 1%. Moeda renovou a máxima perto de R$ 5,17 e real anotou o pior desempenho entre emergentes. Rendimento

Ontem: Reversão da queda dos yields americanos freou o ímpeto de queda do DI, que chegou a mergulhar pela manhã com o CPI abaixo do esperado nos EUA. Inflação americana aumentou chance de 0,50pp pelo