Buscar
  • Vinicius Verdu

Morning Call - 06/06/2022

Sexta: Os juros futuros recuaram em movimento de ajuste que teve início no começo da tarde. Notícias de que as discussões sobre decreto de estado de calamidade para subsidiar o diesel perderam força no governo ajudaram a aliviar as taxas. E, ao final da semana, predominou a expectativa com postura mais dovish do Banco Central, ainda reverberando fala de Campos Neto de que a autoridade vai combater a inflação sem prejudicar o setor produtivo. Mais cedo, os juros fururos seguiram a alta dos yields americanos com mercado de trabalho aquecido nos EUA que reforçou a visão de aumento de juros agressivo do Fed. O dólar também reverteu a alta e fechou abaixo dos R$ 4,78, após máxima na casa de R$ 4,83. O Ibovespa caiu pela primeira semana em quatro, com as baixas das bolsas americanas. Vale pesou e Petrobras liderou as ações em alta. Eletrobras caiu no início do período de reserva para compra de ações da empresa. Em NY, índice Nasdaq liderou as perdas com o tombo da Tesla.


Hoje: Bolsas e minério de ferro avançam no exterior após novas medidas de alívio das restrições contra a Covid em Pequim. Notícia sobre encerramento de investigação da China contra gigante de tecnologia alavanca ações do setor. Petróleo ainda sobe com aumento de preço do produto pela Arábia Saudita. No Brasil, BC faz atualização parcial da Focus, que estava com divulgação paralisada por greve, enquanto mercado aguarda o último IPCA antes do Copom na quinta-feira. Roberto Campos Neto fala em evento aberto. Funcionários de Furnas obtêm liminar que pode barrar privatização da Eletrobras e governo tenta derrubar decisão, segundo jornais. Planalto avalia repasse de R$ 20 bi a estados para cortar ICMS do diesel, diz Folha, após notícia de desistência da calamidade ter aliviado mercados na sexta. Lula testa positivo para Covid-19.


Bom dia e boa semana

Posts recentes

Ver tudo

Ontem: O Banco Central reforçou mensagem da ata do Copom de que busca a convergência da inflação para ao “redor da meta” em 2023, com a Selic mais alta por período mais longo. Segundo o presidente Rob

Ontem: Dólar se firma em alta no fim da tarde e encerra o dia perto dos R$ 5,20, pressionado pelos ruídos fiscais com as propostas do governo para aliviar os preços dos combustíveis e o cenário extern

Ontem: Ata do Copom com tom mais duro que o esperado abriu espaço para aperto para além de agosto e fortaleceu o real ao favorecer o carry. Exterior positivo também contribuiu para a moeda ficar entre