Buscar
  • Pedro Hernandez

Morning Call - 06/04/2020

Ontem: O dólar encerrou o dia e a semana em novo recorde, mesmo com leilões de swap cambial e moeda à vista feitos pelo BC. Foi a sétima semana seguida de avanço. Fortalecimento da moeda americana no exterior e aqui continua refletindo a busca maior dos investidores por ativos mais seguros, depois que o payroll americano de março mostrou a primeira queda mensal desde 2010, sugerindo que o cenário da economia dos EUA será pior do que o imaginado com a pandemia do coronavírus. A bolsa perdeu quase 4%, sob pressão do exterior mais adverso e do declínio de Vale e bancos, que ampliaram a perda semanal do índice. Juros futuros fecharam em queda nos vértices curtos, com ampliacão das apostas de corte da Selic em 0,50 pp em maio pelo BC, enquanto médios e longos subiram com maior prêmio de risco pelos possíveis efeitos da pandemia, inclusive na área fiscal brasileira. No EXTERIOR, as bolsas americanas caíram após dados de emprego mostrarem o impacto da pandemia na economia, na sequência de números recordes de pedidos de seguro-desemprego no país. Payroll de março mostrou perda de 701.000 vagas ante estimativa de 100.000 reduções. O petróleo estendeu a alta com perspectivas de corte da produção para interromper a queda nos preços. Hoje: Bolsas globais sobem com sinais de que o coronavírus está começando a se estabilizar nos EUA e em alguns dos países europeus mais populosos, enquanto a evolução da epidemia e impacto econômico no Japão, além da hospitalização do premiê britânico, ajudam a impor nota de cautela. Petróleo tenta reduzir perdas após despencar com adiamento do encontro da Opep+, mas alta dos metais ajuda a fortalecer moedas ligadas a commodities. No Brasil, Campos Neto diz que pode até vender “muito mais” se houver disfuncionalidade do dólar, que por ora tem andado em linha com exterior. BC faz repo com título soberano e divulga Focus. Agenda semanal forte de dados de inflação aqui e no exterior começa hoje com IGP-DI. Câmara aprova Orçamento de Guerra, flexibilizando os limites fiscais e texto pode dar ao BC novos poderes. Bolsonaro insiste no tom polêmico e afirma que alguns integrantes do governo “viraram estrelas”. No Datafolha, Mandetta tem mais do dobro da aprovação do presidente durante a crise. Doria deve estender quarentena em SP por mais 15 dias. Bom dia e boa semana a todos.

Posts recentes

Ver tudo

Ontem: O Banco Central reforçou mensagem da ata do Copom de que busca a convergência da inflação para ao “redor da meta” em 2023, com a Selic mais alta por período mais longo. Segundo o presidente Rob

Ontem: Dólar se firma em alta no fim da tarde e encerra o dia perto dos R$ 5,20, pressionado pelos ruídos fiscais com as propostas do governo para aliviar os preços dos combustíveis e o cenário extern

Ontem: Ata do Copom com tom mais duro que o esperado abriu espaço para aperto para além de agosto e fortaleceu o real ao favorecer o carry. Exterior positivo também contribuiu para a moeda ficar entre