Buscar
  • Pedro Hernandez

Morning Call - 02/12/2021

Ontem: As incertezas sobre a votação da PEC dos precatórios no Senado, com a possibilidade de adiamento, e a piora externa, com bolsas de NY apagando ganhos e yields passando à baixa, pesaram sobre os ativos domésticos. Lá fora, os EUA confirmaram seu primeiro caso de contágio pela cepa ômicron, na Califórnia, a África do Sul informou que os casos de Covid quase que dobraram desde terça-feira e os investidores avaliam as notícias em torno da variante. O presidente do Fed, Jerome Powell, reforçou sua mensagem de que o banco central manterá a inflação sob controle e que as autoridades deveriam considerar acelerar o ritmo com que reduzem as compras de ativos. Aqui, a demora nas negociações em torno da PEC juntaram-se às informações de que o líder do MDB pediria para votação ser adiada para quinta-feira. O dólar virou para alta à tarde e chegou a superar R$ 5,67. O Ibovespa reverteu avanço e os juros longos subiram.


Hoje: Mercado espera que Senado finalmente vote a PEC dos Precatórios e o Auxílio Brasil nesta quinta-feira, tirando da frente dois temas que têm sido causas de incerteza fiscal. Votações testam força do governo mostrada ontem com aprovação de Mendonça, indicado por Bolsonaro ao STF. Na economia, expectativas com o crescimento serão balizadas pelo PIB, que pode corroborar apostas na manutenção do ritmo da Selic caso se confirme a esperada estagnação no 3º trimestre. Agenda do dia abre com IPC-Fipe abaixo do previsto e ainda traz leilão de prefixados do Tesouro, após reduções anteriores dos volumes de NTN-B e NTN-F. No exterior, auxílio-desemprego dos EUA, falas de dirigentes do Fed e reunião da Opep são destaques na véspera do payroll. Bolsas europeias caem nesta manhã com alerta da Apple sobre demanda e receios sobre a ômicron, mas futuros em NY operam em alta, moedas pares do real avançam e commodities estão mistas.


Bom dia

Posts recentes

Ver tudo

Ontem: Em meio a uma sessão de volatilidade na véspera de decisão do Fed e com riscos geopolíticos relacionados à Ucrânia, os ativos brasileiros aproveitaram uma melhora de NY à tarde, movida por busc

Ontem: O cenário de aversão ao risco no exterior, com as tensões entre Rússia e Ucrânia, às vésperas de decisão do Fed sobre política monetária, contagiou os ativos domésticos. O Ibovespa perdeu em to

Sexta: O risco fiscal voltou a arranhar o humor para os ativos domésticos, após o presidente Jair Bolsonaro confirmar que o governo negocia com o Congresso uma PEC para “praticamente zerar” PIS/Cofins