Buscar
  • Pedro Hernandez

Morning Call - 01/07/2020

Ontem: O dólar subiu 1,1% na última sessão do mês, trimestre e semestre, enquanto Ibovespa caiu 0,7%, em dia marcado pela volatilidade. O BC chegou a fazer um leilão de dólar à vista, no qual vendeu US$ 365 milhões, o que tirou a moeda da proximidade dos R$ 5,50, mas foi insuficiente para apagar o movimento. LÁ FORA, entre avaliações de dados econômicos melhores do que os estimados e preocupação com novos casos de coronavírus, as bolsas subiram e encerraram o melhor trimestre desde 1998. Aqui, o Ibovespa subiu 30% no trimestre, o que reduziu a perda semestral para 18%. Já o dólar avançou 5% no trimestre e quase 36% no semestre. Nos seis primeiros meses do ano marcado pela pandemia de coronavírus, o real é a pior moeda entre 24 divisas emergentes e também em cesta de principais moedas globais, com desvalorização de 26%.


Hoje: O segundo semestre começa com alerta sobre contágio nos EUA e perdas nos futuros de NY, após ações terem avançado no trimestre anterior em meio a estímulos sem precedentes para fazer frente à pandemia. Novos casos nos EUA podem subir para 100.000 por dia se comportamentos não mudarem, alertou ontem o especialista em doenças infecciosas Anthony Fauci. Dólar tem desempenho misto ante principais pares e fica no radar ante o real, após subir ontem mesmo com atuação do Banco Central por meio de leilão à vista. Com férias no sistema judiciário de 2 até 31 de julho, vários assuntos importantes ficam com o desfecho em suspenso. Gilmar Mendes só deve definir em agosto futuro da investigação sobre Flávio Bolsonaro. O senador nega irregularidades. Agenda doméstica é leve, com destaque para dados da balança comercial, além de IPC-S e PMI Manufatura. PMI e ISM também serão divulgados nos EUA, além de relatório ADP sobre emprego no setor privado e ata do último encontro do Fed.


Bom dia a todos.

Posts recentes

Ver tudo

Sexta: Apetite ao risco no exterior, enquanto operadores ponderaram chance de Fed desacelerar ritmo do aperto em setembro, e relatos de fluxo doméstico sustentaram a dinâmica positiva dos ativos locai

Ontem: Avanço dos yields e realização de lucros pressionam dólar, que fechou em alta superior a 1%. Moeda renovou a máxima perto de R$ 5,17 e real anotou o pior desempenho entre emergentes. Rendimento

Ontem: Reversão da queda dos yields americanos freou o ímpeto de queda do DI, que chegou a mergulhar pela manhã com o CPI abaixo do esperado nos EUA. Inflação americana aumentou chance de 0,50pp pelo