Buscar
  • Mateus Cosac

Morning Call - 01/06/2020

Sexta: A cautela predominou nos mercados em boa parte do dia, antes da esperada fala de Donald Trump sobre a China. O alívio veio antes do pronunciamento, com notícia de que haveriam retaliações, mas a fase 1 do acordo comercial seria preservada, o que foi confirmado. Com isso, o dólar afundou e o Ibovespa reverteu a baixa, junto com as bolsas americanas. A moeda encerrou maio na primeira queda após quatro altas mensais seguidas. Já o Ibovespa subiu no mês ao maior nível desde fevereiro, antes do impacto da pandemia nos mercados. Os juros futuros encerraram a sessão em queda, com aumento da aposta em queda da Selic, após a queda de 1,5% do PIB no primeiro trimestre. Roberto Campos Neto disse que o medo decorrente da pandemia pode afetar a economia até o próximo ano -- e que a regulamentação para a compra de títulos sai nos próximos dias. Na esfera política, foi bem recebido pelo mercado o apoio do centrão para a aprovação da MP que permite a redução de salários e da jornada enquanto durar o estado de calamidade pública da pandemia. O clima acabou deixando de lado as tensões entre o executivo e o STF, que terá Dias Toffoli afastado por indicação médica por mais 10 dias. BC estendeu até dezembro as restrições para o pagamento de dividendos acima do mínimo obrigatório, recompra de ações e redução do capital social pelos bancos. LÁ FORA, as bolsas americanas apagaram as perdas e fecharam em alta após o pronunciamento do presidente Donald. Trump anunciou que adotará medidas para reduzir a autonomia de Hong Kong, revogando o status comercial do território. Disse ainda que cortará laços com a OMS que acusou de não fornecer informações precisas sobre o coronavírus.


Hoje: Protestos com enfrentamento entre apoiadores e opositores de Bolsonaro ampliam o receio de agravamento da tensão entre o governo federal e os demais poderes. Clima de tensão contrasta com relativo sangue-frio mostrado pelo mercado na sexta. Moeda americana segue em baixa nesta manhã, diante de protestos também disseminados nos EUA, e S&P futuro recua após China interromper importações agrícolas americanas. Bolsas europeias e metais sobem. Se na Europa o relaxamento das restrições relacionadas à pandemia prossegue, no Brasil a Covid continua em expansão, com o número de casos superando os 500.000. Semana de agenda forte, com payroll e BCE, começa com nova live aberta de Campos Neto, Focus, balança, PMI, IPC-S e leilão de repo com moeda estrangeira do BC no Brasil. EUA divulgam PMI e ISM. Embraer tem prejuízo de US$ 104 mi no 1º trimestre e negocia crédito de US$ 600 mi.


Bom dia e boa semana a todos.

Posts recentes

Ver tudo

Morning Call - 18/06/2021

Ontem: Os juros futuros curtos e médios dispararam e a curva perdeu a inclinação após o Copom adotar uma comunicação hawkish e deixar janela aberta para acelerar ritmo de alta da Selic, caso as expect

Morning Call - 17/06/2021

Ontem: A previsão de dirigentes do Fed de que os juros nos EUA podem ter dois aumentos até final de 2023 - um ritmo de aperto mais rápido do que o esperado - trouxe pressão aos ativos no exterior e no

Morning Call - 16/06/2021

Ontem: Os juros futuros curtos estenderam a alta, no aguardo de decisões do Fed e do Copom. O dólar virou para a queda no período da tarde, com fluxo vendedor e também na esteira da expectativa de alt