Buscar
  • Mateus Cosac

Morning Call - 01/03/2021

Sexta: Depois de uma abertura com promessa de recuperação, os ativos brasileiros terminam a sexta de novo no estresse, numa combinação de pressões externas e preocupação fiscal doméstica. A escalada do dólar no exterior penalizou as moedas emergentes, e mesmo dois leilões de moeda à vista feitos pelo BC não foram capazes de evitar que cotação por aqui tocasse novamente R$ 5,60, onde encerrou o dia, maior nível desde início de novembro. Na semana em que o BC vendeu cerca de US$ 3 bi em leilões à vista, moeda avançou quase 4%. Os juros futuros subiram, e ainda que tenham reduzido um pouco a alta com aumento da queda dos yields dos Treasuries, precificaram inteiramente uma alta de 0,50 pp na Selic em março - com espaço para apostas marginais de dose maior. O Ibovespa tombou 2%, com Petrobras na maior contribuição negativa, em reflexo da mudança na presidência decidida por Bolsonaro e das declarações do presidente de que estatal precisa ter visão social. Banco do Brasil também caiu com notícias de que o CEO, André Brandão, entregou o cargo após discordâncias com o presidente sobre o processo de reestruturação da instituição.


Hoje: Bolsas globais e futuro do S&P têm alta expressiva, ensaiando melhora após quedas da semana passada. Juros dos treasuries ainda sobem, mas taxas dos países europeus caem. Yield da Austrália despenca após BC do país reforçar ação para estabilizar rendimentos dos títulos. Moedas emergentes têm ganhos modestos que podem ajudar na abertura do câmbio doméstico, após atuação do BC não impedir que dólar subisse para R$ 5,60 sexta. Maioria das commodities sobe, mas minério de ferro cai com PMIs frustrantes na China. Avanço da Covid e medidas restritivas dos estados mantêm clima de cautela no Brasil. Reunião entre governo e Congresso neste domingo discutiu pandemia e possível votação da PEC emergencial, prevista para até quarta-feira. Agenda traz PMI e ISM nos EUA. Brasil também divulga PMI, além da pesquisa Focus, IPC-S e balança, em meio ao aumento das apostas em alta da Selic. Aneel mantém bandeira amarela para luz. No corporativo, IPOs prosseguem na bolsa apesar da volatilidade, Hapvida e Intermédica fazem acordo para fusão e BB diz que CEO não renunciou ao cargo.


Bom dia e boa semana a todos.

Posts recentes

Ver tudo

Morning Call - 18/06/2021

Ontem: Os juros futuros curtos e médios dispararam e a curva perdeu a inclinação após o Copom adotar uma comunicação hawkish e deixar janela aberta para acelerar ritmo de alta da Selic, caso as expect

Morning Call - 17/06/2021

Ontem: A previsão de dirigentes do Fed de que os juros nos EUA podem ter dois aumentos até final de 2023 - um ritmo de aperto mais rápido do que o esperado - trouxe pressão aos ativos no exterior e no

Morning Call - 16/06/2021

Ontem: Os juros futuros curtos estenderam a alta, no aguardo de decisões do Fed e do Copom. O dólar virou para a queda no período da tarde, com fluxo vendedor e também na esteira da expectativa de alt